Ansorena
Ansorena

Espanha se dá conta de que poderia vender um Caravaggio por 1.500 euros e cancela leilão

A tela 'A Coroação de Espinhos' é atribuída ao pintor José de Ribera

Redação, O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2021 | 10h08

O governo espanhol bloqueou o leilão de um quadro atribuído ao círculo do pintor José de Ribera, por suspeitar que na realidade seria do mestre italiano Caravaggio (1571-1610), anunciou nesta quinta-feira, 8, o ministro da Cultura, José Manuel Rodríguez Uribes.

"Cultura declara que não é exportável um quadro que seria leiloado em Madri por suspeitar que pode ser de Caravaggio", escreveu o ministro no Twitter. 

O quadro em questão é A Coroação de Espinhos, um 'ecce homo' que seria leiloado durante a tarde pela casa madrilena Ansorena. A pintura era avaliada em 1.500 euros. Se for mesmo de Caravaggio, seu valor pode chegar a algo entre 100 milhões e 150 milhões de euros.

O ministro disse que pediu às autoridades que declarem o quadro como Bem de Interesse Cultural, o que aseeguraria que a obra permanecesse na Espanha - e fosse cuidada pela administração pública. Isso também poderia garantir que a obra só será vendida com a autorização das autoridades.

A Espanha já perdeu um Caravaggio uma vez e não quer que isso se repita. Em 1976, a tela A Crucificação de San Andrés (1607) foi adquirida pelo Museu de Arte de Cleveland, e está exposta lá até hoje. Quando os espanhóis se deram conta, já não podiam mais impedir que a obra deixasse o país.

Especialistas estão no momento estudando a pintura para tentar atestar sua autoria. 

Maria Cristina Terzaghi, professora de História da Arte Moderna da Universidad de Roma III, havia, segundo a AFP, expressado dúvidas sobre a autoria do quadro, em declarações ao jornal italiano La Repubblica, afirmando que poderia ser mesmo Caravaggio (1571-1610). Segundo a pesquisadora, o manto púrpura de Cristo neste quadro tem a mesmo tipo de vermelho de Salomé com a cabeça de São João Batista, outro quadro com temática religiosa exposto no Museu do Prado, em Madri.

Há quem diga, porém, que A Coroação de Espinhos não foi pintada por Caravaggio, mas que se trata de uma imitação. E que se for uma imitação do próprio José de Ribera, seu preço deveria ser reavaliado: de 1.500 euros, o quadro deveria ser vendido por pelo menos 200 mil euros. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.