Escritores Celebram O Autor

"Poe entraria em qualquer lista dos dez autores fundamentais da narrativa curta. Embora não tenha propriamente criado o conto policial (cuja tradição é muita antiga no Oriente Médio), foi ele quem concebeu seu formato moderno, sendo ainda um dos precursores da ficção ensaística que teve o apogeu em Borges. Como se não bastasse, escreveu O Corvo e morreu aos 40 anos."ALBERTO MUSSA"Poeta (com uma obra que vai além de O Corvo e Annabel Lee) e teórico da literatura (são imprescindíveis seus textos Filosofia da Composição, O Princípio Poético e Eureka), foi o primeiro escritor a perceber a mudança radical que significava a modernidade. Sem Poe não existiria a tradição do romance policial, nem a literatura fantástica à Borges. E, sem ele, talvez um dos maiores poetas de todos os tempos, Charles Baudelaire, não tivesse sido tão imenso - e o filósofo Walter Benjamin talvez não tivesse escrito um dos textos fundamentais da filosofia contemporânea, O Flanêur, que compreende a essência do sujeito do século 20 a partir de Baudelaire e de Poe."LUIZ RUFFATO"Poe é o único escritor impecável. Ele nunca se equivocou."PAUL VALÉRY"Ele trouxe um arrepio novo à literatura. Seus contos são mágicas e vertiginosas alucinações sem choraminguices enervantes. A poesia é profunda, gemente, pura, correta e brilhante como um cristal. E suas críticas literárias são uma guerra infatigável aos falsos raciocínios, às imitações bobas, aos barbarismos e a todos os delitos literários, que se cometem diariamente nos jornais e nos livros."CHARLES BAUDELAIRE"Se tivessem ouvido para a língua inglesa, os franceses teriam outra opinião sobre ele."ALDOUS HUXLEY"A imaginação de Edgar Allan Poe, como a de Herman Melville e a de Nathaniel Hawthorne, não cabia dentro de uma normalidade incolor e insípida. Com rapidez, Poe descobriu que os cenários de seus contos não eram importantes, pois a verdadeira paisagem de sua imaginação era sua própria alma. Descobriu também que essa alma não estava baseada por uma prosperidade comum, mas sim pela sombra e pelo mistério."CARLOS FUENTES"Ainda que sua vida estivesse marcada pela desgraça, Edgar Allan Poe foi um dos mais afortunados escritores modernos em relação à irradiação de sua obra pelo mundo."MARIO VARGAS LLOSA"Sua narrativa é uma bomba de efeito retardado, pois dinamita a realidade tardiamente. Em uma época de especulação sem limites, de bancarrotas, recessão e esperanças destroçadas, vale a pena voltar a Poe - testemunha privilegiada dessa incipiente corrupção americana - e imaginar que, se as bolsas desabam por todo o mundo é porque um oculto Van Kempelen está a ponto de tornar público seu descobrimento."JORGE VOLPI"Se aprendi algo com a leitura dos contos de Edgar Poe, foi a quadratura do círculo do sinistro. Refiro-me a uma certa incerteza intelectual produzida pelo trânsito na fronteira entre o animado e o inanimado." IGNACIO PADILLA"O gênero policial é muito forte e, realmente, acho que Poe nunca imaginou que o gênero teria a difusão que alcançou, porque não ocorre somente na literatura, mas também no cinema e na televisão, onde há histórias infinitas. Mas acredito que o gênero policial refere-se a algo relacionado com o funcionamento básico da sociedade." RICARDO PIGLIA"Considero O Coração Denunciador a obra-prima de Poe. No monólogo interior de um assassino que está escondido no escuro do quarto de sua vítima, um velho em pânico e com o olho esbugalhado, a existência do velho só se manifesta por meio desse olho (?um olho de abutre?) e pelo som do coração que bate - ou pelo que o assassino supõe que seja o coração do velho, que continuará a obcecá-lo depois do crime." ITALO CALVINO

, O Estadao de S.Paulo

10 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.