Luke MacGregor/ Washington Post
Luke MacGregor/ Washington Post

Enorme balão 'bebê Trump' será exposto no Museu de Londres

Os criadores do balão esperam que sua exposição 'encoraje aqueles que pensam em como continuar a luta contra a política do ódio'

AFP, Redação

18 de janeiro de 2021 | 11h47

Uma grande figura inflável com a forma de um Donald Trump bebê, que os críticos do presidente americano usaram nas manifestações contra sua viagem ao Reino Unido em 2019, será exibido no Museu de Londres, anunciou a instituição nesta segunda-feira, 18. 

Este imenso balão, que representa um bebê loiro furioso vestido com uma simples frauda e com um celular na mão, tornou-se o símbolo dos protestos contra Trump durante a visita de Estado que o magnata americano fez em junho de 2019 a Londres. 

De seis metros de altura, o "bebê Trump" foi usado pela primeira vez em 2018, para protestar contra as honras previstas para receber o presidente no Reino Unido naquele ano. 

O Museu de Londres, dedicado à vida da capital britânica, adquiriu o objeto para representar "a onda de sentimentos que inundou a cidade (...) e capturar um momento particular de resistência", explicou Sharon Ament, diretora da instituição.

Os criadores do balão esperam que a exibição "nos lembre do momento em que Londres enfrentou Trump e incentive a pensar em como continuar o combate à política do ódio".  

O balão se juntará às coleções do museu sobre manifestações na capital britânica, que incluem objetos relacionados ao movimento a favor do voto para as mulheres e cartazes usados recentemente para protestar contra os cortes no gasto público.  

O museu disse que está em contato com os proprietários de um balão que representa o prefeito trabalhista de Londres, Sadiq Khan, quem criticou o "tapete vermelho" estendido para Trump no Reino Unido. Esse balão foi criado em resposta ao "bebê Trump" pelos opositores de Khan.

 

Tudo o que sabemos sobre:
exposiçãoDonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.