Enfim, ele conseguiu: a terceira estrela de Daniel Filho

Criar novas piadas para situações que o público já conhece não é fácil, mas sequência é ainda melhor

Crítica Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

02 de janeiro de 2009 | 00h00

Já é tempo de dar a Daniel Filho a terceira estrela. Há tempos que seus filmes ficam na categoria duas-estrelas. É tempo de dar um upgrade para o diretor. Se Eu Fosse Você 2 é melhor que o primeiro da série. Não é fácil - é o que Glória Pires destaca na entrevista acima - criar um universo de fantasia e equilibrá-lo com elementos tão plausíveis.Na trama de Se Eu Fosse Você 2, Cláudio e Helena separaram-se porque ele virou workaholic e não tem tempo para a mulher. A nova mudança de corpos ocorre justamente quando eles estão saindo de uma audiência preliminar para definir detalhes do divórcio. Quando pronunciam ao mesmo tempo as palavras mágicas - "Se eu fosse você" -, uma pane (veja para saber qual é) faz com que o raio caia pela segunda vez no mesmo lugar e marido e mulher troquem - de novo - de corpos.Não basta a separação do casal. Para incrementar a situação familiar, Daniel Filho e seus roteiristas imaginaram que a filha adolescente está grávida, de um garoto que o pai não conhece, mas agora é justamente o pai que a defende e a mãe, que tudo sabe, quem se comporta como se quisesse matar a garota. Na evolução da trama, é a própria mãe quem engravida, mas quem sente os primeiros sintomas é o pai, claro.Criar novas piadas para uma situação que o público já conhece não é coisa fácil, mas Se Eu Fosse Você 2 inventa uma partida de futebol para substituir o momento ?Esther Williams? do marido, na piscina do primeiro filme. Tony, como no primeiro filme, admite ter tido aconselhamento da mulher, com quem está casado há décadas, para realçar sua ?feminilidade?. Em alguns momentos, a mudança de corpos alimenta o mal-entendido - Tony vai às compras e acha que está faltando uma corzinha, "assim, uma écharpe", e o seu gesto afetado leva a vendedora a pensar que é gay. Nas sessões de pré-estreia, o público riu muito das novas piadas, que ora realçam, ora subvertem o preconceito. Uma delas reinventa a velha briga entre homens e mulheres em relação à tampa do vaso sanitário, na hora de fazer xixi. Talvez seja a mais surpreendente - posto que a mais inesperada, numa situação banal - piada de Se Eu Fosse Você 2. ServiçoSe Eu Fosse Você 2 (Brasil/ 2008, 100 min.) - Comédia. 10 anos. Cotação: Bom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.