Empenho de um ficcionista para explorar sua identidade

Cartas de Vincennes - Um Libertino na PrisãoMarquês de SadeEduel, 154 págs., R$ 30A seleção de cartas escritas por Donatien-Alphonse François de Sade (1740-1814), o Marquês de Sade, enquanto estava na prisão do Castelo de Vincennes, serve como uma impactante iniciação ao sinuoso universo do autor de 120 Dias de Sodoma e A Filosofia na Alcova. Segundo o tradutor Gabriel Giannattasio, autor de Sade, Um Anjo Negro da Modernidade, a correspondência do escritor francês exibe-se como "prenúncio das ideias e do vigor imaginativo e poético que adquirirão contornos e formas mais livres em seus romances." Para entender-se, Sade usou a escrita dessas cartas como instrumento de autoinvestigação. Não encontrou uma resposta sólida, apenas aprofundou o abismo de sua alma.

, O Estadao de S.Paulo

20 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.