Hannah McKay/ Reuters
Hannah McKay/ Reuters

Em Londres, mãe e filha montam galeria com desenhos infantis em ponto de ônibus

Sarah Lamarr e Rosie, de 4 anos, deram início ao projeto para distrair as pessoas que passam pelo local durante isolamento social pelo coronavírus

Natalie Thomas e Hannah KcKay, Reuters

30 de abril de 2020 | 09h41

Um ponto de ônibus de Londres foi transformado em uma galeria de arte infantil, obra de uma moradora local que queria espantar o tédio da vida em isolamento, criando um polo comunitário colorido em meio à ansiedade e ao confinamento da pandemia de Covid-19.

Um cartaz escrito à mão com um apelido de Instagram incentiva crianças e adultos a contribuírem com suas criações, e a parede do ponto de ônibus foi coberta de desenhos de coisas como um unicórnio, flores e arco-íris – este último passo a simbolizar positividade e solidariedade com os profissionais de saúde britânicos durante o surto.

Sarah Lamarr, professora de meio período e mãe de Rosie, de 4 anos, iniciou a galeria ao acordar um dia após o início do isolamento do coronavírus no país e perceber que ficaria presa em casa por tempo indeterminado com nada além de um ponto de ônibus insípido para contemplar.

“Só queria fazer algo para alegrá-lo para não ter que olhar para um ponto de ônibus cinza até sei lá quando”, disse ela à Reuters.

Lamarr disse que se sentiu como o protagonista de Janela Indiscreta, suspense de 1954 de Alfred Hitchcock no qual James Stewart interpreta um fotógrafo que passa a observar os vizinhos depois que uma perna quebrada o confina em seu apartamento.

“Se você tiver um ponto de ônibus perto de você, eu realmente incentivaria qualquer um a fazer o mesmo, porque é uma coisa realmente adorável para se ter em sua comunidade”, disse.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.