Em edição bilíngüe, uma das peças da Oresteia

Agamêmnon é a peça que inicia e compõe com As Coéforas e As Eumênides a trilogia da Orestéia. A profunda visão do autor grego capta a natureza dos homens e as relações de poder no mundo fatalista da Grécia clássica. O tradutor Trajano Vieira empreende uma transcriação haroldiana da palavra em busca da riqueza poética do texto. Como Trajano Vieira diz na introdução: "Diferentemente de Sófocles, cujos personagens e particularmente os coros manifestam introspecção solene, reflexão serena sobre os dissabores do destino e sobre a precariedade da existência, Ésquilo tende ao conflito patético e contundente. Sua linguagem não traz a marca do distanciamento abstrato, mas da tensão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.