Em cena

HeyBaixo Ribeiro dará um up na expo Caligrafias, por serem o DNA da arte urbana. Estão chegando obras de Bruce Bishop de LA, dos japoneses Pifo e Casper Osaka, Jun Matsui e do italiano Luca Barcellona. A mostra, com obras de Claudio Gil, Calma, Nuno Valério, será estendida até dia 27. Questão de gramática?A OAS de César Mata Pires, casado com Teresa, filha de ACM, chamada no passado de ?Obras Arranjadas pelo Sogro?, e que, após a briga de ACM com Teresa e César, saiu completamente de Salvador, ganha novo apelido: ?OAW? ou ?Obras Arranjadas pelo Wagner?. Após a posse de Jacques Wagner como governador da Bahia, em 2007, a empreiteira voltou com tudo ao solo soteropolitano, e, além de ter diversas obras em andamento, foi escolhida para a construção da famosa ponte que ligará Salvador à Ilha de Itaparica, avaliada em R$ 1,5 bi. Surpresa? Nenhuma, o projeto da ponte, carro-chefe da campanha de Wagner para as eleições de 2010, e encomendado pelo governador foi elaborado pela... OAS.SOM NA CAIXA - Há muito mistério em torno de Lissy Trullie. Ela não gosta do glitz - e seus managers acham que ainda não é hora de superexpor seu rosto de modelo que um dia já foi. Mas ela canta bem; soa como uma Siouxsie Sioux da nova geração. Ou uma ainda mais andrógina Chrissie Hynde. O que ela veste influencia meninas de NY. Lissy é o ápice do sonho pop americano. E tem sido treinada pelos tops. Debbie Harry e Adam Green fizeram com ela uma versão melancólica de Just a Friend. "Depois que ela fez um solo, peguei na guitarra e queimei a mão", diz Green. A aposta de que ela vai estourar é de... Courtney Love. Tem música nova no front, Boy Boy. Detalhe: Ela é autodidata. E compositoraSUPERNOVA - O produtor, pintor e poeta Francesco Civita resolveu tornar público o trabalho a que somente os mais próximos tinham acesso até agora. Editado pela Finaflor, de Cris Lisboa, seu primeiro ?é um cut up, juntando recortes de jornal a aquarelas; uma sátira da notícia?, explica. O formato é dos livros orientais, colado e, se desdobrado, formam quadro de até 18 m. A tiragem é limitada a 300 exemplares numerados e todos receberam uma colagem fresca individualizada. Além do livro, que não tem nome, Francesco expõe oito telas inspiradas na obra.Elza Soares caiu no choro no estúdio de Santa Teresa onde grava seu primeiro disco de jazz. Strange Fruit, ícone na voz de Billie Holiday, é um poema de Abel Meeropol que toca na ferida ainda aberta do racismo. "Eu sou a strange fruit", diz Elza, se referindo ao título do poema. O baixista Jorge Helder enxugou as lágrimas. Mas já era hora, Elza! Com esse dá para cruzar fronteiras. Não?Assistir lado a lado um jogo entre Corinthians e São Paulo nem pensar. Mas para Rui Branquinho e Washington Olivetto não há problema ver Itália vs França. Prova que o clima entre os dois é ótimo. Mas chegou a hora de Branquinho dizer tchau à W, já que a reestruturação da agência feita pelos dois está com os pingos nos is. Branquinho para montar um projeto pessoal. "Não devemos colocar ninguém no posto dele e, sim, vários em outros", diz Washington.Dizem que Francisca Braga é uma escritora carioca. Ou talvez não. Mas é este o nome que está na assinatura da adaptação da obra literária O Primo Basílio, de Eça de Queiróz, para um musical, homônimo, que estreia amanhã em São Paulo, com direção de Dan Rosseto. Desconhecida do elenco, não aparece nos ensaios, não dá entrevista por telefone, nem ao vivo, só se comunica por e-mail. Não é só a Flip que movimenta Paraty. Guga Mattos e João Pedro Serrado, do bar DRY, estão construindo em Paraty o Santa Trindade. O lugar é um mix de restaurante, lounge e clube com dois palcos para música ao vivo. Foram gastos R$ 120 mil só em equipamento de som. A casa colonial onde fica foi preservadíssima por Bruno Guedes. O soft opening será dia 10.Ricardo Oliveira é o novo diretor da Duetto Editorial. Começa colocando em livrarias uma versão teen da Luluzinha, ícone dos 70, agora vestida por Glorinha Kalil.Antes de estrear novo disco, Renato Goddá vai testá-lo em shows em Londres, Paris e Buenos Aires.O primeiro susto foi saber que a filha Cláudia, além de amante, estava grávida do cantor João Gilberto. Agora, o dentista do high Olympio Faissol, recebeu a notícia de que outra filha, Heloísa, se desapegou dos logos, fashionismos e subiu o Morro da Babilônia para ser funkeira. Diz ela ter se cansado da hipocrisia da sociedade. A música de trabalho com que estreia é Dou Pra Cachorro!. Cláudia, a primeira irmã a sair da toca, explica: "Se não tiver forte apelo sexual não vende." Cadê o desfibrilador?Heitor Martins chegou do Chile certo do que fará da Bienal: uma instituição menos hermética e pretende colocar a casa, ou melhor, as contas, em ordem em curto tempo. Não parece missão impossível dado que em seu conselho há feras de dentes afiados do mercado financeiro. E feras mansas, que abrem braços para dinheiro da lei Rouanet. Têm até desenhado como será a Bienal de 2010: focada no Brasil, com 50% contemporâneo, 50% retrospectivo e 25% produzido por gringos. Para o público é Paulo Borges quem conduz a cena do SPFW e, agora, também a do Fashion Rio. Mas por trás dos holofotes, o poder está nas mãos de Gabriel Felzenszwalb, 32, CEO da InBrands. O Estado conversou com Gabriel sobre a união dos eventos SPFW e Fashion Rio. Como tudo começou? A InBrands é formada por ex-sócios do Banco Pactual para atuar em diversas áreas, como consultora por meio da PDGRealty e Los Grobo, que exporta soja do Uruguai e Argentina. Dentro da estratégia do BCP, o que é consumido por famílias é ponto estratégico. Percebemos que o setor é muito pulverizado, que há muita sonegação, desorganização e procuramos um sócio com visão otimista, extrema ousadia comercial e extremo conservadorismo administrativo na moda. Essa pessoa foi Nelson Alvarenga, da Ellus, que vendeu 50% de seu business para a InBrands. Vem mais por aí?Há muitas marcas cheias de hype, mas que não são sustentáveis a longo prazo, Isso foi em 2007. Nesse ínterim, a Inbrands comprou 50% da marca Isabela Capeto, 70% de Herchcovitch, parte da produtora Luminosidade, de Borges, e agora recebeu da Firjan licença para operar a marca Fashion Rio por 10 anos. Antes ?rivais?, Fashion Rio e São Paulo Fashion Week agora são irmãos. O Fashion Rio vinha sofrendo inconstância no line up. O que fizemos foi analisar marcas de mais constância e conteúdo de moda. É muito duro dizer isso. Não que as marcas não estivessem comprometidas. Mas precisávamos racionalizar o evento. Precisávamos enxugar para qualificar. Como fará para escolher o que fica em um e outro evento? Eu mal sei me vestir. Isso é coisa para o Paulo Borges. Esse é um projeto que nasceu e aconteceu em seis semanas. A ideia será resgatar o life style no Rio e abrir espaço para novos talentos em moda-praia. Mudar os desfiles para o Píer Mauá faz sentido em relação à reestruturação da cidade. No acordo, fechamos que a Firjan, apesar de ser a concessora, entrará como patrocinadora. Todo ônus e todo bônus do evento é nosso. A partir daí, friso que as duas semanas de moda serão complementares. A ideia é fazer com que o Fashion Rio chegue ao tamanho do Fashion Week e criar uma identidade para que marcas não fiquem de lá para cá. Vamos racionalizar e crescer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.