Em cena

HeyO Fashion Rio mudou para as mãos de Paulo Borges - e tem novo conceito visual. A diretora de arte Mari Stockler eliminou tendas de desfiles para ressaltar a arquitetura do Píer Mauá. Começa dia 5, com a DJ Cécile Togni, a PutaFranges, musa da Collete.QuaseCientistas do Centro de Referência e Treinamento de Pesquisas DST - Aids da Faculdade de Medicina da USP estão por um triz para conseguir entrar na segunda etapa de testes de um estudo para desenvolver uma vacina de DNA anti-HIV. Chefiados pelos infectologistas Edécio Cunha Neto e Esper Kallas, os uspianos, em vez de utilizarem proteínas inteiras do HIV, que é mutante, para obter uma resposta imune do corpo, isolaram 18 epítopos, ou fragmentos antigênicos menores do vírus, que são colocados na mesma estrutura de uma fita de DNA - e que, ao serem injetados num indivíduo, podem traduzir e decodificar 70% da sequência de aminoácidos do vírus. Os testes já foram feitos em camundongos e deram certo. Agora, necessitam ser feitos em macacos, antes de serem testados em humanos - e, para isso, os cientistas precisam viajar para os EUA para trabalhar sob a direção do infectologista David Watkins, da Universidade de Wisconsin, que tem estrutura para testes. Falta o dinheiro: US$ 500mil.Quem diria... o senador Fernando Collor de Mello e Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado, que nasceram em Alagoas, foram aliados até a chegada de Collor à presidência e depois romperam, agora, estão unidos como irmãos gêmeos. Fogem de holofotes, mas almoçam ou jantam sempre no novo restaurante QI 5 no Lago Sul, em Brasília.O advogado de direito autoral Daniel Campello e o produtor musical Daniel Figueiredo em novo business: Up-Rights, empresa criada para desenvolverem novos modelos de administração de carreiras.ESPUMA - O investimento foi de R$ 2,5 milhão e 90 o número de dias que Daniel Whitaker Sobral e Otavio Veiga levaram para chegar à terceira brassagem de um novo superchope. Os dois montaram em Indaiatuba a microcervejaria Karavelle, seguindo a Reinheitgebot, lei de pureza promulgada na Alemanha em 1516, para cerveja feita com puríssimo malte.O eco é que Le Montana, em Paris, tem punch para ser um novo Studio 54. O antigo clube de jazz, no número 28 da rue Saint-Benoit, em Saint-Germain, foi famoso nos anos 60, quando o estilista Paco Rabanne era dono. Vizinho ao Café de Flore, desde seu re-vamp, em março, o clube em sido mantido impenetrável pela massa pelos novos donos. Um deles é o explosivo fotógrafo Olivier Zhan, dono da revista PurpleO outro, o grafiteiro Andre Saraiva - um português que virou o dono da noite parisiense nos últimos cinco anos ao abrir o clube Le BaronO lugar é bem mais que um pista escura onde enlouquecem as elites cultural, cabeça e hispters. Zahn chamou Vincent Darré, antigo colaborador de Karl Lagerfeld, que hoje desenha móveis e espalhou pelo lugar suas esculturas de taxidermia e móveis em edição limitada. De um lado, o escritor Daniel Galera. Do outro, o ilustrador Rafael Coutinho. Resultado? Cachalote, primeira obra de uma série de HQ?s-cabeca, com textos de escritores e ilustradores jovens contemporâneos. Reunidos por J. Terron, são eles a isca de Luiz Schwarcz para atrair leitores jovens para a Quadrinhos na Via, nova label da Cia das Letras. Claudio Loureiro, da produtora Head, vai tentar convencer o prefeito Eduardo Paes a fazer o mesmo que o prefeito de Barcelona: investir em um filme de Woody Allen para hypar o Rio como destino turístico. Com Vicky Cristina Barcelona assim foi feito. Loureiro tem em mãos US$ 7 milhões. Um filme de Allen custa cerca de US$ 18 milhões e a agenda do cineasta está bloqueada até 2011. Woody toparia, sim, explorar a América Latina, segundo seu agente, Stephen Tenenbaum, com quem Loureiro conversa. Em junho virá ao Brasil para acertar contratos com diretores, Emannuel Benbihy, criador de Cities of Love, série de curtas em que cineastas de diferentes países filmam histórias de amor situadas em uma metrópole. Paris, NYC e Shangai foram as primeiras cidades. Rio, a próxima. Rio, Eu te Amo, projeto trazido pela Premium Entertainment Group, será produzido pela Oz, de Jonas e Dan Klabin, associados à BossaNova Films, de Willy Biondani, Paula Trabulsi e cia. Sai Dudu Venturini e entra como sócio de Robério Braga e Lô Polliti na Maria Bonita Filmes o produtor Coi Freitas, da Manifesta. Para tocar a área de entretenimento. Ecos de Veneza. A grande coisa - e maior festa - da abertura da 53ª Bienal de Artes será a ópera produzida por Francesca von Habsburg, arquiduquesa do império austro-húngaro - uma espécie de Gertrude Stein dos tempos atuais, fundadora do Thyssen-Bornemisza Art Contemporary. Será um ópera no Teatro Goldoni, elaborada para quebrar as regras de Fare di Mondo, título da Bienal. No Day, No Night é uma colaboração entre o artista vanguardista Cerith Wyn Evans e o compositor alemão Florian Hecker. "É e não é uma ópera", explica Francesca. "Objetivamente, mostraremos filme e uma música abstrata, que na minha opinião é a maneira mais refinada de arte", conta. E na Suíça, destino pós-Veneza dos art-trotters, os produtores da Scope suam frio em pleno verão: a prefeitura da cidade não libera autorização para que ocupem o parque, onde aconteceria a feira, paralela à feira-mor Art Basel. Residentes espalharam pela cidade cartazes com a frase: "Nada de Scope por aqui." Uma lei local prevê a obrigatoriedade de playgrounds e Scope não teria especificado aos órgãos públicos para quê o espaço seria usado. O problema maior será dos expositores. Não há lei que obrigue o ressarcimento pelo transporte de obras. VALÉRIO SUPERSTAR - É tempo de frisar que a mais brilhante estrela da moda indie brasileira é o estilista pernambucano Valério Araújo. Devoto de Padre Cícero e Frei Galvão e último de uma família de 16 filhos, Valério saiu de Lajedo há 20 anos rumo a São Paulo. Amanhã, Valério fecha a 25.ª edição da Casa de Criadores no Centro de Exposições Frei Caneca. A bem da verdade, o alegríssimo e performático Valério já fez esse papel algumas vezes, só que para um público mais restrito: modernos, travestis, povo da noite. Os editores de moda entraram na onda dele, publicando seus arranjos de cabeça - e Valério virou marca high-end. Os que serão mostrados no desfile de amanhã são uma série de esculturas de pano. O grande lance de Valério é que faz tudo à mão - e o momento da moda é de valorização de produtos feitos como tal. Valério falou ao Estado: Você mostra amanhã um desfile em que tudo remete a estátuas...Todas as roupas do desfile são douradas, cobre, prata e cor de gente. Esse é feito de crochê de metal bordado. Tudo o que leva tempo para fazer. Há que ter paciência e exige dedicação para ser visto como arte.Por que entrar mais fundo no feito à mão?Porque eu queria valorizar o trabalho das minha costureiras, das bordadeiras, E como são os looks?Sensuais, curtíssimos. PANELA NOVA - Renata Vanzetto hoje tem 20 anos, mas foi aos 12 que entrou na roda-viva para ajudar no projeto de um restô, montado por sua mãe da Ilhabela. O lugar durou uma estação, só que Renata continuou cozinhando para fora. Juntou dinheiro e se mandou para a Europa. Menor, não podia ser contratada, mas foi se infiltrando em cozinhas da Espanha e da França. Um dia seu chef faltou - e ela foi posta no comando da cozinha. Deu certo, mas a pressão do dia a dia de um grande restaurante fez com que pegasse trauma do business. Voltou para o Brasil e entrou para a faculdade - onde durou 4 dias. O jeito foi abrir o Thai Marakuthai, sucesso da Ilhabela - que Renata abrirá em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.