Em cena

HeyBob Wolfenson assina dia 7 Cartas a Um Jovem Fotógrafo na Livraria da Vila. Vik Muniz ganha festa da Fortes Vilaça na Disco para comemorar a expo do Masp. Amanhã, Marcos Buaiz leva para o Royal Technician, ??? produtor do rapper Jay-Z.O embaixador da França em Brasília, Antonine Pauliette, chamou Tuca Reinés para fotografar a... embaixada. As fotos viram livro que os franceses darão de presente para Sarkozy no dia 7.LOS BISTRONÔMICOS: Os cozinheiros espanhóis driblam a crise com os bistronômicos, restôs pequeníssimos, sem requinte visual, mas ambiance gira e comida feita com técnicas de alta gastronomia. Javier Torres Martinez, um dos gêmeos do Eñe, que em Barcelona pilota o Dos Cielos e logo mais abre um restô no Rio, lista 5 bistronômicos que valem a visita em Barça: Dois Paillos: do chef Albert Raurich, ex sous-chef de Ferrán Adriá abriu com pouco capital e faz cozinha estupenda misturando o clássico catalão com Oriente. Não à toa: casou-se com uma japonesa e levou o amor para a cozinha. "Fígado de rapé é muito bom, justamente por ser difícil de fazer", diz Javi. Fica no Centro, entre as Ramblas e a zona antiga de Barcelona.Embat: É de um casal mais 2. A palavra significa o ar que vem do mar de Mallorca. Por 30 euros come-se prato, sobremesa e vinho. Segundo Javi, o restô todo é "espetacular", como o calamari na tinta.Petit Comitè: Famoso, o chef Fermin Puig viu desabar o movimento de seu restô Sanger, cujo ticket médio é 300 euros, então no Passeo de Gracia, abriu o Petit Comitè, onde recupera a cozinha catalã em esquema de bistrô. Tem muito de Nar y Montaña. Come-se estupendamente por 30 euros.Tapas 24: Uma jovem turma, um novo olhar para o clássico. Os calamaris e lulas, antigamente pintados nas paredes de restôs, neste têm um tom cômico. Carlos Avejan vem da escola El Buli, mas não faz as espumas mirabolantes. É clássico. La Taberna del Cobre: Três cozinheiros servem de 30 a 70 entradas por virada nesse restô, de cozinha catalã moderna. Absolutamente um show. Os feras do Direito Autoral Andrea Francez, José Carlos Costa Neto e Sergio Dantino chamaram 16 bons no tema para fazer o Manual do Direito do Entretenimento. Não há no Brasil livros sobre o assunto nesse crescente mercado. "É para advogados, atores, produtores e todos que trabalham com produção cultural", diz Andrea. No recheio, ilustrações de Paulo Caruso: "A linguagem é facilitada, as pessoas não precisarão correr para consultar advogados e as ilustrações tornam assuntos menos pesado." Tem gente se conhecendo melhor: o superprodutor musical e diretor do Vírgula, Luis Calainho, e a divertida baiana Carolina Magalhães.A estilista Carina Duek sai do Baixo para o Alto Jardins. Está desenhando nova loja com Isay Weinfeld.Pérolas aos porcos. A versão brasileira da Mokaï, de Miami, que André Queiróz e Rico Mansur abrirão terá um lugar secreto, o Hell Kitchen. É uma pista privé, que funcionará após as 3 h com... hip-hop. Um leilão surgido em reação aos tradicionais. Primeiro, porque tem curadoria ativa, plugada em sua representação num quadro histórico mais amplo. Colecionismo hoje é curado pelo expert João Pedrosa e organizado por Sandra Bighetti. As 200 peças - o forte são anos 30 e 50 - estão em expo na A Casa até o dia 17. E vão a pregão dia 28. ME MEXE - Estariam na expo Creatures of the Night, do coletivo Money Laundry, Nina Sander e Marino Barros testando o Mut- sugoto? Sabe o que é? Um aparelho que ingleses estão lapidando para que casais desenhem a distância, com luz, sobre corpos de seus lovers. O toque da luz é como um carinho. O protótipo será mostrado no Festival de Artes de Edimburgo, em agosto.Marc Jacobs e Natalie Klein criaram juntos uma t-shirt para São Paulo. Por uma razão: ajudar por meio da moda a Cruz Vermelha. Os R$ 180 que custam a t-shirt vão para a instituição. Raul Seixas, Início, Meio e Fim. Evaldo Mocarzel começou a filmar a vida de Raul e terminará o filme com um show histórico da banda Raulzito e Panteras. Como gostava Raul, o show terá 24h. A Pró-Sangue precisa de sangue. A Fundação abastece de bolsas e hemocomponentes 130 hospitais públicos de São Paulo. E atende emergências de outras regiões. Enviou 700 bolsas para o Vale do Ribeira, Botucatu e Jaú. Pede doações.Os lendários NY Dolls tocam no sábado, dia 25, no Via Funchal, em São Paulo. A banda nasceu em 1971, causava por se travestir no palco e abriu caminho nos EUA para bandas punk e Glam Rock. Acabou separando-se em 77, após a morte por O.D. de alguns integrantes. Foram resgatados do quase nada pelo fã incondicional Morissey - que se diz um Doll. Tá... Era 2004 e havia 2 Dolls originais: o vocalista David Johansson e o guitarrista Syl Sylvain, responsável pelos looks fantásticos. Montaram nova banda, que está lançando Cause I Sez So. De Buenos Aires, o "Estado" fez contato com Johansen para uma entrevista - mas a tentativa foi quase como uma giletada de travesti. Meio fora de si, não falava coisas com nexo. Dia seguinte, missão cumprida com Sylvain por telefone com o "Estado":Os Dolls causaram muito impacto por causa dos looks andróginos e glamourosos. De onde veio isso, já que vocês falam em namoradas e tal?Basicamente tentávamos fazer um grande show. Queríamos que as pessoas voltassem para casa realmente satisfeitas. Eu já trabalhava como estilista, antes. Criava looks relacionados às músicas. Como numa ópera rock.Também foram dos primeiros a usar make.Não fomos os primeiros, o Mick Jagger já se maquiava. O Rod Stuart também, quando apareceu. Nós fazíamos isso para parecermos melhores, não para chocar. Nem para parecermos mulheres. Talvez nós também nos inspiramos naqueles que mencionei.Mas hoje em dia vocês ?limparam? mais seu estilo, não?Quando você é jovem, pode fazer qualquer coisa e ficar incrível. Quando fica mais velho, você tem de limpar tudo isso. Mas nós ainda somos coloridos e selvagens, bem à frente do tempo.Acha que, de alguma forma, é responsável pelo início do punk?É o que dizem. A nossa herança é o fato de que, antes, os músicos tinham de ser como o Beatles e os Stones para conseguir assinar um contrato. Derrubamos o muro e a porta na frente, assinando como indies o primeiro disco. Uma vez que fizemos isso, todo mundo disse uau!, ?se eles puderam, também posso?. Começaram a formar bandas, não apenas para se divertir. Essas bandas se tornaram Ramones, Pati Smith, Blondie, Talking Heads.Vocês também trabalharam com o Malcom McLaren, fundador dos Sex Pistols...Quando era designer, havia um evento de moda em NY, o Industry Show. Foi lá que conheci Vivienne Westwood e Malcom McLaren. A marca de roupa deles se chamava Let it Rock, estilo meio rockabilly. Na Inglaterra eles chamavam Teddy Boys. Aí apresentei os Dolls para Vivienne e Malcom que se apaixonaram por nós e começaram a nos seguir. Anos depois encontrei Malcom em NY e ele me perguntou como estava a banda. Eu disse, bem... temos muitos problemas e parece que vamos nos separar. Ele disse que isso seria muito ruim, aí começou a nos ajudar. Arrumou estúdio de ensaio, organizou novo show. Nunca tivemos uma assinatura em papel dizendo que ele era nosso verdadeiro agente. Dois ou três meses depois, finalmente nós realmente nos separamos, e é isso.A imagem de vocês é autodestrutiva. Dois morrerem de O.D., muito jovens. Como você e David sobreviveram a loucura?Por que estou vivo? Porque amo muito a vida, amo trabalhar. Quando tocamos, o público fica louco.E o novo CD, tem letras políticas, tipo Vietnamis Babies?David é quem compôs as letras, mas, sim, nós sempre temos. Não que tenhamos uma agenda política. A música tem de ser mais que isso, tem de ser como uma boa conversa, é isso que acho que deve ser.Tem algumas fotos de vocês no começo da carreira com bandeiras soviéticas, vocês eram mesmo comunistas de fato ou era só provocação?Quer saber? Era um pouco de tudo, incluindo estupidez.Quem são, para vocês, reis do punk?Sabe o que acho muitas vezes sobre quem são rei e rainha do punk? Para mim, o rei é Elvis Presley e a rainha é Ronnie Spector do Ronetes.E o novo disco?Todd Rungreen, que produziu o primeiro disco dos Dolls, está fazendo esse. Gravamos no Havaí. Será lançado no dia 5 de maio nos EUA e 28 no Brasil, pela Ecco Records, que é da Warner. ESCLARECIMENTODepois do fechamento da coluna Em Cena, de Chris Mello, publicada hoje no Caderno 2, foi anunciado que o show da banda NY Dolls, previsto para sábado, no Via Funchal, foi adiado, sem nova data prevista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.