Em cena

Ohm É de Priscila Lima, do Santo Corpo, o passe do iogue mais hypado no momento: Pedro Mello Franco, peregrino das principais rotas sagradas da Índia e Nepal e Fundador do MahaBandha. Instrutor de vinyasa flow yoga e de hatha yoga, Pedro é fisioterapeuta iniciado pelo Mantra Yoga Meditação de Swami Devanada Saraswati Ji Maharaj. O plus das aulas? O tom dado pelo harmonium, instrumento indiano tocado por ele durante as práticas. PorretaO democrata candidato à prefeitura de Salvador ACMinho continua acelerando na campanha - e focado na segurança pública. Convidou para dar um check-out no cenário baiano o colombiano Hugo Acero, que por 9 anos foi secretário de Segurança Pública de Bogotá - hoje está na ONU - e teve papel importante no processo que reverteu estatísticas de homicídios e seqüestros na capital de seu país: de 80 homicídios por 100 mil habitantes para 16. Acero é ferrenho quanto ao combate ao consumo de drogas. Hoje, o colombiano grava programa eleitoral de ACM Neto e deve visitar alguns bairros violentos de Salvador. Detalhe: Salvador nunca teve Guarda Municipal. Tudo fica nas mãos do Estado e, a violência não pára de crescer. ACMinho também aposta no programa Big Brother Bairro - igual ao instalado por Andrea Matarazzo em São Paulo, onde câmeras monitoram os pontos violentos das cidades. La maison serait tombée: Dias contados para o Café Photo. O clube de garotas de programa vai ser posto abaixo por Zeco Auriemo, que comprou o terreno da Hélio Pelegrino para erguer dois prédios. Residenciais. Para onde vai o Café Photo? Não se comenta no p... Vinda de Londres, Cibelle Cavalli está em SP para o show de reabertura do MIS, dia 9. Subirá ao palco com projeções do coletivo Embolex e performance de Pereio, inspirada em poema de Ezra Pound sobre a usura na criação coletiva. Cibelle, que começa a gravar seu terceiro disco, fala ao ?Estado?:Já tem algo pronto?Ando direto no estúdio que tenho em casa trabalhando online com Damian Taylor, diretor musical, braço direito da Björk. Ainda estamos chamando pessoas para entrar no projeto. Aqui, quero encontrar (os músicos) Kassin, Domenico e Apolllo 9. Vai ser meio tropical bizarro. Digamos que Tarzan mora com Shirley Bassey num disco voador e às vezes dão umas festinhas de ragga na selva. Mais ou menos por aí. E o macaco toca sintetizador. Sai ano que vem. ?Estado? ouviu que você vai reproduzir com a Cria.lab o projeto Dreams that Money Can Buy... Sim, este ano. O projeto é da banda inglesa The Real Tuesday Weld, inspirado num filme de 46 de Richter. Faço a trilha sonora ao vivo. Tem no YouTube. Mesma trip da performance do MIS?Ainda vamos ensaiar o poema. Pretendo resamplear minha voz e a do Pereio. Tees: Com a Hering mirando o fashion e (quase) fora do jogo de venda de camisetas básicas, a Hanesbrands viu no Brasil mercado com potencial para faturar anualmente R$ 2,3 bi com esse tipo de commodity. Começa a vender suas camisetas básicas Hanes, que têm 100 anos de história nos EUA, em pacotes de duas, nos supermercados do País. Por R$ 16,90. Chapa quente: Incentivado por Serra, Beto Lago do Mundo Mix sai pelo PSDB candidato a vereador, com o produtor cultural Chico Lowndes como suplente. Campanha ?jovem?, custo baixo: o gabinete será virtual. Link: De um lado, Madonna no palco da turnê Sticky & Sweet no Brasil. Do outro, a brasileiríssima Renner, patrocinando shows com direito à cantora na campanha. O negócio - na casa de 4 dígitos - foi fechado pelo CEO José Gallo por um simples fato: estão americanos dos dois lados. A Renner pertence desde 98 ao grupo JCPenney. Luana Piovani fichada?: É idéia de Rodrigo Pitta para o schetch Free Luana da série Morra de Rir, que o diretor estréia com Will Ferrell na Web. Nesta, Luana é pega afanando biquínis. Preta Gil, Ivete e celebs que fazem parte da série, como ela, entram no clima sem cachê. Pelo prazer de fazer arte entre amigos. Em rede: O AfroReggae vai para a TV. Em outubro, José Jr. começa no Multishow o Conexões Urbanas, programa focado em personagens jovens ?que fazem a diferença no mundo? e que estréia com um papo com o chinês Long Hair, líder dos protestos das Olimpíadas .Bloco na rua: Geraldo Alckmin vai sair com Tasso Jereissati sábado para um footing entre a Rua Direita e o Largo São Bento. Para aquecer a campanha. Passos: O fisiologista Cláudio Pavanelli e o lateral direito do Toulouse Paulo César têm mira certa para o Centro de Condicionamento BeOne: corredores de rua. Não é difícil de explicar: são mais de 4 milhões de corredores no País e esse número cresce 20% ao ano, movimentando uma indústria de mais de US$ 1 bilhão. 08.08.08 - No embalo da abertura oficial dos jogos em Pequim, a Nike lança amanhã, mundialmente, a Nike Sporstwear, sua nova marca. "A Nike remixou para a vida urbana seus oito principais ícones desenvolvidos para esporte nos últimos 40 anos", explica Thiago Guimarães, gerente de Marketing da Nike Sportswears no Brasil. É um movimento quase orgânico se lembramos que, em 83, o Air Force 1 era o tênis usado pelos jogadores do Philadelphia 76ers, quando venceram uma temporada inteira. Foi o início da cultura sneaker, quando o tênis das quadras virou moda nas ruas. "Tees, WAW 77 Hoody, Windrunners, Eugene, Dunk, Air Max 90 e Cortez são os outros sete fantásticos da marca, que no Brasil fará uma operação especial de guerilha para que cada um dos produtos chegue ao consumidor target. "Na Doc Dog dos modernos as Tees; a Surface to Wear foca no Windrunner; a Visionaire no Cortez; na Maze a estrela é o Dunk; na Ichiban o Air Force 1; e na Doc Dog Snickers o Air Max 90", diz Guimarães. Tow inA idéia da bióloga Leandra Gonlaves é juntar sábado, no Parque Villa-Lobos, centenas de pessoas para fazer uma olá gigante - e assim chamar atenção para a megacampanha Entre Nessa Onda que o Greenpeace inicia dia 19 para proteger os estoques pesqueiros brasileiros, que estão em 80% ameaçados de extinção pela pesca predatória. Além de regulamentar a atividade pesqueira, o desafio, além de lidar com efeitos do aquecimento global, é aumentar as áreas marinhas protegidas, que no Brasil correspondem só a 0,4% da costa. No mundo? 1%, acredite ou não. O italiano Marco Perego, 29, largou o futebol por causa de uma fratura, passou um tempo no Brasil, recuperando-se, mas acabou indo para NYC para fazer arte. Faz três anos. A Sotheby?s já andava de olho, mas o artista entrou para uma turminha jet-setter européia e, ?apadrinhado?, representado por Wladimir Restoin-Roitfeld, filho da editrix da Vogue França, Carine, fez uma expo na Nikki Diana Marquardt Gallery e sua nova série The Vivian Boyz engatou num momento de hype. Perego fala ao ?Estado?.Há 3 anos você morou no Brasil e, em tão pouco tempo, está vendendo obras por US$ 45 mil? Como deu essa virada?Mudei para o Harlem e não tinha um tostão para nada. Dava aulas para sobreviver e um dia convenci a irmã de uma amiga que trabalhava na Sotheby?s a olhar meu trabalho. E ela me indicou para a Galleria Cardi, em Milão. No meu primeiro show, vendi tudo e Girogio Armani estava lá. Foi incrível. Depois Lapo Elkann (herdeiro da Fiat) me apresentou para toda a Europa.Agora, todo esse hype de The Vivian Boys. Tem um quê warholiano, não?Completamente. Endemonizo o pop, personagens da Disney. Aparentemente, está fazendo sucesso. A De Grisogno me chamou até para fazer uma linha de jóias. UM EM DOIS - Imagine uma caixa feita de tecido transparente e equipada com lentes gigantes, ocupando quase todo o espaço de uma galeria. No caso, duas galerias: Raquel Arnaud e Millan. É o que fará Carlito Carvalhosa com a expo Faz Parte, que vai começar no dia 9, nos dois espaços. "A idéia é realizar a mesma experiência em lugares diferentes, e haver a impossibilidade de semelhança. Ao atravessar a cidade, encontra-se de novo o que ficou para trás, numa suspensão das relações normais", explica. O valor das peças? De R$ 20 a R$ 80 milKate Moss é o trunfo de Nizan Guanaes para o RioSummerFashion, que em novembro mostra o top da moda praia do País para clientes e top press gringa. É questão de acerto de agendas, segundo sua equipe.

O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.