Ela chama de ''crime'' reedição dos livros de Monteiro Lobato

Ruth Rocha desaprova a forma como a editora Globo vem reeditando a obra de Monteiro Lobato. "É um desastre, um assassinato o que se faz com o legado do Lobato", comenta a escritora, crítica em especial com as ilustrações, que considera "horrendas". "Existem profissionais que acreditam que a ilustração tem de ser parecida com um desenho animado", afirma. "Não é nada disso - o desenho tem de ter mais riqueza interior, ser capaz de incentivar a imaginação do leitor."Desde 2007, a editora Globo vem republicando a obra do escritor, um total de 56 livros, dos quais 31 títulos voltados para o público infanto-juvenil. Um acordo com os herdeiros do autor pôs fim a um tortuoso relacionamento com a editora Brasiliense, há anos a principal casa editorial de Lobato, cujo impasse impedia a circulação dos livros.Segundo Ruth, os livros de Lobato hoje são de difícil compreensão para as crianças, que enfrentam problemas de alfabetização. Mas isso não deve permitir que se façam adaptações, como aconteceu nos programas de televisão. "Ninguém cria uma fala da Emília com a mesma perfeição do Lobato", acredita a autora. "Trata-se de um personagem original e talvez apenas Millôr Fernandes poderia reproduzir com a mesma graça. E, mesmo assim, não seria perfeito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.