Eficiência na definição de estilo incomum de narrar

Com uma singular economia, que associa número de páginas e tempo de leitura, Strathern apresenta a obra de Borges. O percurso cronológico organiza um panorama que privilegia a referência aos contos e faz rápidos comentários sobre a poesia. A seleção dos contos é impecável e, embora haja excesso de paráfrase, o autor é eficiente na definição dos traços estilísticos dessa ficção e dos temas que ela convoca. Às vezes, a extrema concisão leva a afirmações biográficas e históricas que contradizem a sutileza borgiana. Uma sugestão para o leitor: reserve alguns minutos para ler um conto de Borges. Ana Cecilia Olmos é professora de Literatura Hispano-Americana da USP, autora de Por Que Ler Borges (Globo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.