Documentário sobre Cartola resgata a nobreza do samba

Foram dez anos de produção, mas o esforço compensou - o documentário Cartola - Música para os Olhos, que o Canal Brasil exibe às 22 horas, é uma festa para todos os sentidos. Afinal, Angenor de Oliveira, o Cartola, foi um dos maiores e mais sensíveis sambistas e poetas da música popular brasileira.Dirigido por Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, o filme traz imagens raras, depoimentos, encenações e trechos de outros filmes para juntar fragmentos da vida do compositor de As Rosas não Falam. O mérito dos realizadores, aliás, foi justamente o de se preocuparem com as densidades e sutilezas de Cartola, que era um lorde, como o define Cacá Diegues em depoimento ao documentário.Afinal, sua música encantava até mesmo os críticos mais rigorosos. Reza a lenda que Villa-Lobos costumava frequentar a quadra da escola de samba Mangueira apenas para ouvir os sambas de Cartola. "Não estuda, não. Você faz tudo errado, mas fica lindo!", teria dito o autor das Bachianas Brasileiras.De fato, embora refinado, Cartola era dono de um talento intuitivo, o que curiosamente resultava em uma combinação singular. Dono de uma vida atribulada, ele foi responsável em ressaltar a nobreza do samba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.