Direto da fonte

Crise econômica à parte, a arte contemporânea brasileira está em um de seus melhores momentos, no ver de Luisa Strina. "Prova disso é o espaço que ela ocupa no exterior", diz ela, precursora do segmento, há 35 anos. O que mudou com a crise? "As pessoas estão comprando menos, é verdade. Mas estou apostando em uma nova geração de colecionadores", justifica a galerista.Entre mortos-vivosA Previdência Social fez aliança com o TSE para descobrir aposentadorias que continuam sendo pagas a pessoas já falecidas.Para isso, está cruzando seus dados com a lista de gente que não vota nem justifica há várias eleições.Em apenas um mês o grupo descobriu R$ 1 milhão em pagamentos póstumos.Não, a ver naviosPela primeira vez na sua história, a Vale vai fazer hedge para sua compra de combustíveis. Afinal, este preço é fundamental para manter estabilidade no custo do frete da sua frota, que cresce a passos largos.Hoje ela opera três navios próprios e tem encomendados outros 49 a estaleiros do Brasil. E da China vêm mais oito de grande porte. Natimorto?José do Nascimento Jr, do novíssimo Instituto Brasileiro de Museus, enfrenta tarefa difícil: melhorar a gestão dos museus federais, além de coordenar uma política nacional para o setor. Não se sabe se com ou sem recursos.O assunto - que estava até agora nas mãos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - acaba de passar para as suas.OportunidadeSabine Masseglia, do Hotel Guanahani, na ilha de St. Barthémely, e Thibaut Asso, do La Samanna, na de St. Martin, aterrissam hoje em São Paulo. Vêm cheios de malas e bagagens para uma série de encontros com agentes de viagens de luxo.A ideia dos executivos é reforçar o roteiro Caribe como uma excelente alternativa ao turismo no... México.Batuta fashionValentino vai dar um tempo em sua aposentadoria para criar o figurino da Vienna Philharmonic. As roupas foram encomendadas ao estilista, mas só serão usadas na tradicional apresentação de fim de ano da orquestra austríaca, que é transmitida para os quatro cantos do planeta.O que vem por aí? Nada muito ousado, no que depender da vontade dos músicos. Responsabilidade socialElba Ramalho e Geraldo Azevedo dividem, terça, o palco do Canto da Ema. O show será em prol da ONG Bate Coração, criada pela cantora. O Instituto Moreira Salles doou cerca de 25 mil livros para entidades sociais e prefeituras. Entre os beneficiados estão o Instituto Arte na Escola e a Biblioteca Móvel da Viação Itapemirim. Coordenado por Egla Monteiro e Miguel Rocha, o projeto Arte e Cidadania em Heliópolis comemora a finalização do espetáculo O Dia Que Túlio Descobriu a África, com jovens atores da comunidade.A Fundação Odebrecht comemora o selo Rainforest Alliance nos produtos agrícolas dos cooperados do programa de Produtores de Palmito do Baixo Sul da Bahia. Ocorre em junho o Bazar de Arte Popular Peruana, em prol da Arie. Será no Moema Eventos, com apoio do Consulado-Geral do Peru em SP. A Cooperifa exibe amanhã, no projeto Cinema na Laje, o curta-metragem Ilha das Flores, de Jorge Furtado. O Centro de Diagnósticos Brasil realiza, dia 24, uma paella beneficente no Lar São José, que se dedica à educação de crianças carentes. Uma tonelada de medicamentos foi enviada, essa semana, pela Contmatic Phoenix, a Vale e a Defesa Civil de São Paulo para as vítimas das enchentes no Maranhão. Idealizado pela ex-jogadora Magic Paula e por sua irmã Branca, o Instituto Passe de Mágica ampliou suas ações para mais 120 crianças. A Fundação Stickel recebeu semana passada a Fundação Rubem Cunha para fazer diagnóstico oftalmológico em crianças da Vila Brasilândia. Direto da fonteColaboraçãoDoris Bicudo doris.bicudo@grupoestado.com.brGabriel Manzano Filho gabriel.manzanofilho@grupoestado.com.brMarília Neustein marilia.neustein@grupoestado.com.br

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.