Direto da fonte

Mais dinheiro por 30 diasSão Paulo teve peso na aprovação no comitê gestor do Simples Nacional em relação à prorrogação, para o dia 13 de fevereiro, do recolhimento de tributos por parte das empresas que aderiram ao regime especial de arrecadação. Segundo se apurou, a iniciativa foi encabeçada por São Paulo e Maranhão, representantes dos 27 Estados no comitê gestor do Simples.Para Mauro Ricardo Costa, secretário da Fazenda do Estado, esta medida é de grande alento para as empresas como um todo e a paulista em particular. "No caso de São Paulo, serão R$ 170 milhões", soma. No País? "A conta chega a R$ 2 bilhões", afirma. O que mudou? As empresas ganharam uma folga de 30 dias para usar os recursos como capital de giro.Caminho das pedras Sérgio Cabral deve trilhar os passos de José Serra e Aécio Neves.Estuda diminuir impostos para a indústria local.Matemática Contabilidade fresca do setor: a produção siderúrgica, no fim de ano, caiu 50%.O consumo interno, 70%Matemática 2Contabilidade da Vale: em seus canteiros de obra, trabalham 41.681 mil pessoas. Na empresa, 46 mil. De Roger Agnelli: "O País precisa de investimentos para continuar gerando empregos."Curto CircuitoUma fã comprou pela internet um só convite para assistir ao show de Elton John em São Paulo. Recebeu essa semana, pelo correio, 4 convites para ir ao show no... Rio de Janeiro. Resolveu vender e lucrar."Santo Tropê" E a turma internacional já começa a lotar Trancoso para as festas de fim de ano.Vistos jantando no Maritaca, a dupla inglesa Clio Goldsmith e o marido Mark Shand - que vem a ser irmão de Camilla Parker Bowles. De Roma, a condessa Giorgina Brandolini. Look, "ai aimê here"Sérgio Cabral está estudando inglês há anos, mas teve sérias dificuldades para entender o que Madonna disse no camarim, durante o show do Rio. O governador confiou demais no taco e dispensou o intérprete. Mas deu um jeito. Balançou a cabeça e não pediu ajuda.Alô presidenteVai sair salgada a próxima conta telefônica de Garibaldi Alves Filho.O presidente do Senado e candidato à reeleição contou que vai passar as férias grudado no celular. "Vou fazer campanha pelo telefone, porque cada senador irá para o seu Estado, e eu não tenho jatinho para ir atrás deles". Resposta lightTem gente no governo que nem disfarça mais. O deputado Raul Jungmann enviou requerimento de informações a Petrobras. Queria saber qual era o cronograma financeiro de desembolso na construção da refinaria Abreu Lima, em parceria com a PDVSA. Advinhem qual foi a resposta?Um espaço em branco. A Petrobras sequer tentou encher lingüiça.Tienes plata?Crise? Deixa prá lá. A JHSF faz coquetel, dia 28, em Punta del Este, para apresentar o Las Piedras Villas & Hotel Fasano. Servido na piscina ao por-do-sol, será assinado pelo renomado Salvatore Loi.A "Star" do Arquiteto StarckO arquiteto Philippe Starck prefere trabalhar a distância. Autor do projeto arquitetônico do Hotel Fasano, no Rio, visitou a obra somente uma vez, quando ainda estava em construção. E foi só no último fim de semana voltou à cidade para ver o resultado final. Stark falou por telefone com a coluna. O que lhe dá mais prazer: produzir peças em série ou desenhar um obra única? O que me dá prazer é imprimir no que faço uma visão do que existe de romantismo, poesia e história da humanidade. É qualquer coisa que me possibilite sonhar e dar vida aos meus sonhos. E pensar que há bilhões de anos éramos bactérias e, hoje, somos uma espécie de "supermonkey". Nos próximos bilhões de anos o mundo vai explodir e será o fim da história... O senhor tem obras espalhadas por todo mundo. Onde se sente mais bem compreendido? Em um lugar como esse. Quando trabalho com alguém genial, caso do Rogério Fasano, tenho garantia de qualidade. E quando existe garantia de qualidade, existe também de sucesso. A crise vai afetar a criação? Quando os problemas e desafios são grandes, nós nos forçamos a tirar mais da nossa criatividade. Uma crise desse porte nos permite a reinvenção, chegando a mudar as leis da economia e a visão sobre o capitalismo. A crise permite às pessoas repensar suas visões políticas. Eu amo crises. Como iremos viver no futuro? Sabemos somente como não vamos viver. E que o comunismo foi o protótipo de um modelo não alcançado. Mas o capitalismo também está falhando. Temos que inventar um novo modelo.O senhor continua estudando astronomia? Sim. Por meio dela, podemos entender, de maneira profunda, as estruturas como um todo. Se você for à sacada do Fasano e observar a vista, naturalmente tentará entender as ondas, as nuvens baixas e as ilhas. Enfim, tento entender as grandes regras que estruturam a vida na terra. Astronomia, matemática e biologia são só uma parte de tudo. Há quatro anos, quando esteve por aqui, disse que gostaria de levar uma vida normal. Conseguiu? Não. Ainda não fui bem sucedido nesse objetivo (risos). O que lhe encanta no Brasil? A energia. Definitivamente não é arquitetura nem algo material. É o fim dessa energia que cria uma crise como essa que vivemos. Oscar Niemeyer ou Irmãos Campana? Ambos. Eu gosto de tudo que provém da beleza. O senhor está fazendo um reality show na BBC? Jamais faria um reality show. Estou gravando programas voltados para jovens onde mostro que não é tão complicado como parece fazer criações. E, olha, já tenho obtido resultados incríveis. Estréia no ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.