Direto da fonte

BB: cinco na miraJuntou a fome com a vontade de comer. O Banco do Brasil, na gestão Lula, aumentou - e como - sua ânsia de crescer. Os bancos privados nacionais, por mais que tenham a mesma vontade de se expandir, estão limitados hoje pela crise mundial de liquidez. Já as instituições financeiras de menor porte estão sofrendo, buscando uma luz no médio prazo. Cenário traçado, Antonio Francisco de Lima Neto, do BB, sai às compras. Quer adquirir pelo menos cinco instituições de nichos diferentes, nos quais o banco não tem atuação forte. Como o setor de financiamento de automóveis e o de crédito consignado. E tem feito ofertas...Assédio blindadoMadonna pediu, e a Polícia Federal - não sem antes discutir o caso internamente, gerando dissidências - aceitou. A cantora terá tratamento diferenciado ao chegar. Poderá despachar a papelada de entrada no País no avião, quando chegar no Rio.O poeta WojtilaLançamento musical da semana na Itália: Amor Infinito, do tenor Plácido Domingo. Com letras - ou melhor, poesias - de João Paulo II.Embrião e canjaIvete Sangalo faz hoje, em Salvador, um leilão de prenhezes. Os embriões de gado Nelore são o novo negócio da cantora - que, aliás, é sócia de Olavo Monteiro de Carvalho e Maurício Odebrecht em fazenda de gado.Após os lances, promete dar uma canja aos compradores.Não fica bemLuciano Coutinho, do BNDES, até que tem vontade.Mas recebeu determinação do governo Lula de não entrar com uma participação maior em empresas como a Sadia, que teve perdas por causa de exagerada alavancagem cambial. Acham que seria politicamente incorreto.Concretistas?Duas obras viárias de Belo Horizonte passarão a ter os nomes dos escritores mineiros Fernando Sabino e Otto Lara Resende. Ambas no Anel Rodoviário da capital mineira. Fica bemConhecido fundo que tem participações em empresas conversa com a Sadia.Nas nuvensA crise não desanimou os 64 turistas que vão dar volta ao mundo, em cabines de casal montadas dentro de um Boeing 747, por 60 dias.Não há mais vagas no tour da agência americana Top Tour que, pára em Búzios. Custo? US$ 32 mil, cada.Pelo raloSegundo um ministro do governo, a absolvição de Paulinho, da Força Sindical, chega em momento delicado. Há pesquisas no Planalto apontando que, hoje, o Congresso não tem sequer 3% de aceitação popular.No way outA família Lorentzen - aquela que vendeu sua parte na Aracruz para os grupos VCP e Safra - está sossegada. A pedido dos compradores que temiam perder o negócio à época, o contrato está absolutamente amarrado.E, ao que consta, vai ser cumprido depois da negociação de preço.Ensinar a pescarO Instituto Camargo Corrêa lança amanhã, em Angola, um programa de capacitação de mão-de-obra que preparará para o mercado cerca de mil jovens por ano. Valor do investimento? US$ 2 milhões.Ensaio sobre a UnescoEnquanto o governo não anuncia sua decisão, os amigos de Cristovam Buarque vão à luta para que seja ele - e não o diplomata Márcio Barbosa - o indicado brasileiro para a vaga de diretor-geral da Unesco. E essa luta virou, anteontem, homenagem de uma penca de artistas ao senador, no restaurante EÑE, em São Paulo. "Fiquei perplexo com os rumores de que o governo já se decidiu (por Márcio)", disse ele. "Foi o Lula que me consultou, depois que o Mário Soares (ex-presidente de Portugal) defendeu meu nome para o cargo. Eu disse que aceitaria a disputa. A idéia foi dele." Fernando Meirelles, engajadíssimo, avisou: "Seria um vacilo se o Lula não indicasse o Cristovam". De malas prontas para levar seu Ensaio sobre a Cegueira para os Emirados Árabes, o cineasta foi mais duro ao falar para o CQC: seria "uma burrice". De quebra, ele deixou em dia o papo com Cláudia Costim, de quem foi colega no Conselho da Fundação padre Anchieta. "Saí na hora certa de lá", avisou. "Só falavam em caixa d?água quebrada..."Convidada, mas desinformada, Gabriela Duarte pediu socorro ao ver jornalistas perto: "Qual é mesmo o cargo?".Já Maiara Bross, miss Gramado - que fazia uma miss Gramado ali? - foi direta sobre o motivo do apoio ao senador: "É porque ele é fofo". Na frenteTempos difíceis? Um filme - mudo - de dez minutos, dirigido por Karl Lagerfeld, é a cereja do lançamento da nova coleção da Chanel. Os Efeitos Positivos da Crise na Arte Contemporânea são tema de debate, dia 13. No Gabinete de Arte Raquel Arnaud. Felipe D''Ávila lança, na terça-feira, seu livro Cosimo de Medici: Memórias de um Líder Renascentista. Na Livraria da Vila da Lorena.Ponto para Walter Salles. Seu longa Linha de Passe acaba de ser eleito um dos 100 melhores filmes de 2008, pelo jornal inglês The Times. Foi criada no Brasil a campanha Na Real, da Nike. Nas fotos, jovens da cena urbana tomam lugar dos modelos profissionais. Um painel de José Antonio da Silva que participou da Bienal de 1989 está exposto em lugar um tanto inusitado. No restaurante Antiquarius. A Rodobens agora está vendendo carros importados por encomenda. Entre os "brinquedinhos", Ferraris e BMWs. Regina, que aparece ao lado de Tomás, Lygia, Marcos e José Olympio da Veiga Pereira, na foto publicada ontem pela coluna, é mãe e não irmã do quarteto. Divisor de águas. Independente de se gostar ou não, o caso Daniel Dantas, na opinião de seu advogado Nélio Machado, vai balizar o destino do País como Estado de Direito.Direto da fonteColaboraçãoDoris Bicudo doris.bicudo@grupoestado.com.brJulia Duailibi julia.duailibi@grupoestado.com.brPedro Venceslau pedro.venceslau@grupoestado.com.brProduçãoMarília Neustein e Elaine Friedenreich

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.