Direto da fonte

Muita água vai rolarO Brasil vai entrar com pedido na ONU para estender seu direito das atuais 200 milhas marítimas para 350 milhas. Isso se dará, oficialmente, no começo de 2009. Tudo por causa da descoberta de petróleo no pré-sal. A informação foi dada por Nelson Jobim, em jantar reservado, sábado à noite, na casa de Daniel Feffer, em São Paulo. O ministro pretende usar brecha aberta por convenção da ONU que permite, aos Estados costeiros, pleitearem a extensão das suas plataformas continentais. Pedido acatado, os Estados ganham soberania plena sobre essa extensão, com direito à exploração dos recursos do solo e subsolo marinhos.Nove países já entraram com pedidos. No entanto, o pleito da Rússia - primeira a entrar na fila - foi recusado.A melhor defesa...No mesmo jantar, em breve discurso, Jobim fez competente análise sobre o sistema de defesa brasileiro, ponderando, inclusive, que o País deve se concentrar na compra de equipamentos de defesa, e não de ataque. Porta-aviões, por exemplo, não seriam necessários.E obviamente, a crise financeira não escapou das conversas. Pelo que se apurou, os integrantes do sistema financeiro esperam o pior. Já os empresários, embora cautelosos, apostam que os investimentos virão mais fortemente para o Brasil. Entre os seletos convidados - recebidos por Daniel e pelo seu irmão David -, Abilio Diniz, Roberto Setúbal, André Esteves, Ivo Rosset, Aloisio Faria, Michel Klein, Nildemar Secches, Ivo Rosset, o embaixador americano Clifford Sobel e o embaixador Rubens Barbosa.O sem-amigosNo domingo eleitoral mais solitário de sua carreira política, Paulo Maluf recebeu a visita de pelo menos uma pessoa conhecida: Julio Neves, presidente do Masp.Ontem, com o mundo em pânico, a campainha do circuit breaker soou em praticamente todas as bolsas do mundo. E enquanto elas despencavam, o dólar - ah, o dólar - engatava uma firme subida nos mercados.Tucarona Kassamóvel. Foi esse o apelido que recebeu o ônibus colocado à disposição dos seguidores VIPs de Kassab, que colaram no prefeito durante todo o domingo. Na caravana, os tucanos Clóvis Carvalho, Caio Carvalho e Walter Feldman.Reta final Campanha verde. Marta Suplicy esqueceu o transporte alternativo. Para chegar ao local de votação, resolveu ir de carro. Detalhe: ele ficava a não mais de três quarteirões de sua casa. A petista invocou o mau tempo para justificar a escolha. Sobrou para os aliados, que a seguiram a pé...Mau agouroArruda. A campanha de Geraldo Alckmin começou a ir para o vinagre no fim de semana. No sábado, o responsável pela agenda, Felipe Sigollo, torceu o pé, em caminhada com o candidato. Um dia antes, Flávio Mello, da comunicação, saiu de combate para operar o siso.E a Vale sambou...Depois de dois anos de luta, a Vale conseguiu colocar no ar, no domingo, o comercial protagonizado por João Gilberto, interpretando canção-jingle de Nizan Guanaes.Foi só no sábado à tarde, em Salvador, depois de "desimplicar" com uma de suas últimas dúvidas - a locução de Fernanda Montenegro -, que o pai da Bossa Nova deu seu ok aos aflitos enviados paulistas da agência África. Na frenteLula escorregou ao acusar os exportadores de especular contra o real. Eles especularam sim, mas a favor da moeda brasileira. E acabaram entrando pelo cano. Feio.Engana-se quem pensa que Bethy Lagardère abdicou da cidadania brasileira. A viúva do megaempresário francês Jean-Luc Lagardère saiu do MG Hair, no fim de semana, de cabelo e maquiagem impecáveis. Rumo à renovação de sua carteira de identidade. O goleiro inglês Gordon Banks - que na Copa de 70 defendeu cabeçada à queima-roupa de Pelé - pede desculpas ao craque. Onde? Em comercial do Instituto Pelé Pequeno Príncipe, da JWT, informando que cada gol do jogador se transformou em medalha a ser vendida com renda para o instituto.A Lockton Brasil, de Marcelo Almeida, formalizou parceria com a Personal Seguros, de Giorgio Granito e Roberto Rabioglio.Licia Fabio e o chef Edinho Engel fazem o primeiro festival gastronômico de porte do Nordeste. O Bahia Gourmet começa quinta-feira, em Salvador.Correção: o show do Nine Inch Nails, no Via Funchal, foi cancelado. E o do R.E.M será em novembro.Depois de tensa discussão entre kassabistas e martistas, em sala de votação em Higienópolis, um fiscal saiu-se com esta: "É proibido o bate-boca-de-urna". Fez-se silêncio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.