Direto da fonte

"Tamos maus"Quando o assunto é risco político, o Brasil faz a Argentina e a Venezuela comerem poeira. Carlos Caciedo, chefe da divisão de América Latina da Exclusive Analysis, de passagem por São Paulo, contabiliza que, em uma escala de 0 a 10, o Brasil tem hoje risco político de 1,6. Já os hermanitos argentinos e venezuelanos pontuam 3,5 e 3,7, respectivamente. Só para se ter uma idéia, na Noruega esse mesmo índice é de 0,8."Tamos maus" 2Caicedo lembrou ainda que, quando o PCC fez os ataques em São Paulo, a consultoria deu um upgrade no risco de terrorismo. Como assim? "Nós usamos a linguagem das empresas de seguro, e elas classificam o PCC como grupo terrorista."Morte morridaO sistema financeiro não concorda com quem afirma que o crédito consignado não tem inadimplência.No convênio com o INSS, os bancos dão crédito para pessoas de idade avançada e baixo poder aquisitivo, o que configura alto índice de mortalidade. E isso, claro, significa inadimplência.PastelãoDesde que Geraldo Alckmin anunciou que faria dieta à base de mel, dezenas de potes do produto foram entregues por fãs e eleitores no comitê do candidato. As embalagens nem foram abertas.Se enviassem pastéis...Na moscaDescoberto o porquê do comentado urro de dor do prefeito Gilberto Kassab esta semana: golpe baixo.Eleitor carinhoso - dono de joelho descontrolado - fez questão de erguer o prefeito.Velado-claroDiretor da Fiesp, o candidato a vereador Ronaldo Koloszuk afirmou em nota oficial: "Sim, é verdade. O Paulo (Skaf) já deixou claro seu apoio velado a minha candidatura à Câmara Municipal".Velado?Vexame Executivos brasileiros já chamam de "circuito tapetão" o tour por shoppings das marginais com colegas estrangeiros das matrizes.É que os gringos vêm conferir a divulgação da marca, mas caem num golpe: são levados a locais onde ações promocionais já foram feitas.Mandato tampãoCarlos Langoni recusou o convite para presidir a holding da TIM Brasil.Por falta de "tu", Gabriele Galateri di Genola, chairman da Telecom Italia, vai acumular o cargo.Good BoyClifford Sobel, embaixador americano no Brasil, desembarca dia 19 em Belo Horizonte com um presente para Aécio Neves: doação de U$ 1,5 milhão para ajudar na instalação do Centro de Inteligência do Estado, que vai reunir as secretarias de governo.O projeto é assinado por Oscar Niemeyer, que se programa para visitar as obras ainda este mês.Índio quer diplomaComeçam a funcionar em janeiro as três universidades indígenas, criadas por Evo Morales para "descolonizar" a Bolívia. As aulas? Serão dadas em aymará, quechua e guarani.Joio e trigoAs empresas sérias, que prestam serviços aos governos, pagam imposto e direitos dos trabalhadores contratados, foram se queixar a Carlos Lupi, do Trabalho, que ficou de encontrar solução.Elas não têm nada contra o pregão eletrônico, mas como a decisão final é pelo menor preço, empresas picaretas jogam o preço para baixo, sem contabilizar custos dos direitos dos trabalhadores.Olhos abertosCom sala lotada, Ensaio sobre a Cegueira, de Fernando Meirelles, teve sua pré-estréia nacional anteontem, em São Paulo. Curiosidade-mor na platéia? "Quero ver como ele (Meirelles) solucionou a descrição detalhada e a pontuação de José Saramago (autor do livro homônimo)", comentou Edgar Picolli, do Multishow, antes de assistir o filme. "Tenho certeza de que é um poema", emendou o ator Gero Camilo.Apesar de já ter a aprovação de Saramago - maior emoção de Meirelles -, o diretor estava ansioso para ver como reagiria o público. Foi aplaudidíssimo.Sem bagagem - ela foi extraviada em Manaus, onde passou férias com os filhos -, a protagonista Julianne Moore não se estressou: quer conhecer a Bahia. Já Gael García Bernal decepcionou. Não no filme. Assinou contrato garantindo presença na pré-estréia. E não apareceu.Dois em doisDefinido o limite entre São Paulo e Rio na estréia paulista de Caetano Veloso e Roberto Carlos, anteontem, no Auditório Ibirapuera. Na Cidade Maravilhosa, celebridades e globais disputavam o melhor lugar na platéia. Já na Terra da Garoa, foi parte do PIB que cantarolou as canções de Tom Jobim. No palco, por conta da alteração da luz para a gravação do especial da Globo, só deu o terno azul Bic de Roberto Carlos, na briga com o cinza grafite do costume Prada de Caetano.Perfeccionista, Roberto Carlos chegou ao teatro às 16h30, para ensaiar. Caetano? Só na hora do show. O baiano veio com alta sofisticação no mais amplo sentido. O rei, com seu Carisma. Água e vinho, ambos bem que tentaram, mas só (quase) se misturaram no fim do show. Fato: o projeto itaubrasil - que custou mais de R$ 20 milhões - merece repeteco.Na frenteIvan Zurita, da Nestlé, gentilmente cedeu Roberto Carlos - com quem a empresa tem contrato de exclusividade - para o projeto itaubrasil. Mangabeira Unger lança seu livro O que a Esquerda Deve Propor, hoje, na Casa das Rosas, com direito a debate com Caetano Veloso e o poeta e antropólogo Antonio Risério. Dará mais liga do que no show com Roberto Carlos?Nada como um ouro olímpico. O careca César Cielo prepara a sua estréia nas passarelas no desfile do... Hair Fashion Show. Amanhã.Já o americano arrasador Michael Phelps descansa com toda a família no Algarve, Portugal. Mais que merecido.Direto de Fernando de Noronha, Auricélio Romão, chef da Pousada do Zé Maria, vai pilotar hoje e amanhã o fogão da Vinheria Percussi.Observação do americano Peter Turtzo, da Sotheby?s Internacional Realty: "É melhor ser assaltado no Brasil do que ?explodir? em um ataque terrorista." O diretor faz tour de quatro dias pelo Brasil com Fábio Rossi Filho, da Sotheby?s Brasil, a tiracolo. Está encantado.Surpresa da mezzo soprano Suzan Graham após o concerto na Sala São Paulo. Cantou ao piano A Chloris, uma de suas canções favoritas, para poucos privilegiados.Alfinetada. Em seu blog, José Dirceu chamou o prefeito do Rio, César Maia, de ex-prefeito. É o climão eleitoral.Direto da fonteColaboraçãoSilvia Penteadosilvia.penteado@grupoestado.com.brDoris Bicudodoris.bicudo@grupoestado.com.brJulia Duailibijulia.duailibi@grupoestado.com.brPedro Venceslaupedro.venceslau@grupoestado.com.brProduçãoMarília Neustein e Elaine Friedenreich

Sonia Racy, O Estadao de S.Paulo

27 de agosto de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.