REUTERS/Toby Melville
REUTERS/Toby Melville

Díptico de 'Menina com balão', de Banksy, é colocado em leilão no Reino Unido

Acredita-se que uma versão em duas partes da pintura pode render até 4,7 milhões de dólares

Agências, AFP

01 de outubro de 2021 | 16h30

A casa de leilões Christie's apresentou nesta sexta-feira, 1º, um díptico da famosa obra do grafiteiro britânico Banksy, Menina com balão, cuja venda será realizada em Londres em 15 de outubro. 

Datado de 2005, o quadro em duas partes, que representa sobre fundo branco uma menina que deixa escapar um balão vermelho em forma de coração, tem preço estimado entre 2,5 e 3,5 milhões de libras (entre 3,4 e 4,7 milhões de dólares).  

A imagem apareceu pela primeira vez em 2002 e se transformou em "uma espécie de leitmotiv" para Banksy e em "uma obra muito apreciada", disse à AFP Katharine Arnold, curadora da Christie's para arte contemporânea e do pós-guerra na Europa. 



"Com essas imagens, [Banksy] consegue criar um sentimento e captar a essência e o estado de ânimo do momento", acrescentou. 

"Acredito que, depois de 18 longos meses de pandemia, encontramos uma verdadeira sensação de esperança e impulso com esta menina que libera o amor no mundo ao soltar o balão. E isso é absolutamente o que precisamos neste momento", opinou. 

Outra versão de Menina com balão, rebatizada de Amor está no lixo desde que sua autodestruição parcial chocou o mundo durante um leilão em 2018, será oferecida pela casa Sotheby's em Londres, em 14 de outubro. 

Seu preço é estimado em entre 4 e 6 milhões de libras (5,4 e 8,1 milhões de dólares). 

Banksy se tornou mundialmente conhecido por suas obras pintadas às escondidas em paredes de edifícios em vários países. 

O artista urbano gosta de provocar e conscientizar através de sua arte, e já abordou temas como o Brexit e a imigração. Até o momento, sua identidade permanece desconhecida, mas sabe-se que ele é originário da cidade de Bristol, na Inglaterra.

Tudo o que sabemos sobre:
Banksyleilãopintura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.