Charles Platiau/ Reuters
Charles Platiau/ Reuters

Descoberta há cinco anos em um sótão, obra de Caravaggio será leiloada

Leilão será em 27 de junho, em Toulouse, França, e poderá chegar a 150 milhões de euros, de acordo com especialistas em arte.

Sophie Royle, Reuters

07 de março de 2019 | 13h46

Uma pintura do mestre italiano Caravaggio descoberta há cinco anos em um sótão será vendida em leilão no dia 27 de junho na cidade francesa de Toulouse e poderá chegar a 150 milhões de euros, disseram especialistas em arte.

A pintura, atualmente exposta na Galeria Colnaghi, em Londres, data de 1607 e retrata a heroína bíblica Judith decapitando o general assírio Holofernes.

O quadro Judith e Holofernes foi encontrado pelos proprietários de uma casa em Toulouse em 2014, quando investigavam um vazamento no sótão.

Salvo alguns pequenos danos, disse o especialista em arte Eric Turquin, a pintura surpreendentemente permanece em boas condições.

Turquin afirmou que a pintura, que foi mantida no sótão “por pelo menos 100 anos”, passou por uma análise exaustiva e inicialmente secreta para atestar sua autenticidade.

“Depois de cinco anos de análise, trabalho, discussões... agora que estamos realmente certos de que é uma tela de Caravaggio, colocamos no mercado”, disse Turquin.

É provável que atraia um interesse particularmente forte entre os compradores fora da Europa, afirmou.

“Esta pintura é muito importante porque Caravaggio é um grande artista que fala com a nossa geração, e existem apenas 65 pinturas conhecidas dele”, disse Turquin, cuja agência liderou o trabalho de pesquisa sobre a pintura desde que foi encontrada.

“Dentro de sua obra, esta pintura é crucial... Ele está inventando algo novo... criando pinturas obscuras que se tornarão as pinturas de seus últimos anos, as melhores, nós achamos, quanto mais trágico, mais comovente... mais moderno”, disse.

A pintura é a segunda de Caravaggio a retratar Judith decapitando Holofernes bêbado. A primeira, datada de cerca de 1600, está em exibição no Palácio Barberini, em Roma.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Caravaggio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.