Dassin, Melina e a revisão de obra polêmica

Jules Dassin granjeou sólida reputação por seus policiais realistas no início dos anos 50. Cidade Nua (1948) ficou famoso por introduzir o neorrealismo no thriller, mas Dassin precisou exilar-se na Europa, após ser acusado de atividades antiamericanas, durante o macarthismo. Na França, começou bem com Rififi, mas descobriu a Grécia - e Melina Mercouri. Passou a fazer filmes com e para ela. Os críticos que antes elogiavam começaram a se distanciar dele. Profanação (1960), às 16h05 no Telecine Cult, faz de Melina a Fedra de Dassin. Como na tragédia grega, a heroína casada com um armador (Raf Vallone) apaixona-se pelo enteado (Anthony Perkins). O filme pede revisão para se reavaliar o efeito de Melina sobre o cinema do marido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.