Dança aérea empresta Asas a velho sonho

Desejo de voar é tema de espetáculo que será apresentado em fachada de prédio

Beth Néspoli, O Estadao de S.Paulo

13 de agosto de 2009 | 00h00

Um bom motivo para ficar no centro da cidade amanhã após o expediente ou até para dar um pulinho na Praça do Patriarca será a exibição, às 18 horas, do espetáculo Asas na fachada do prédio do Banco do Brasil na Praça do Patriarca. Criação da Companhia dos Pés, de São José do Rio Preto, foi um dos destaques da edição de 2008 do Festival Internacional de Teatro dessa mesma cidade paulista e, depois, premiado em feira teatral da Salamanca, na Espanha, na categoria espetáculo de rua. Em Rio Preto o boca-a-boca fez lotar a segunda apresentação para a qual as pessoas levaram cobertores e travesseiros para deitar sobre a grama e, confortavelmente, olhar para o alto de uma altíssima caixa d?água onde três atores - Angélica Zignani, Alex D''arc e Rodolfo Cesar - executavam uma dança aérea sustentados por cordas de rapel. Às imagens criadas pelo movimento dos corpos, e suas sombras, somava-se um texto, de Angélica, também diretora, sobre o sonho humano de voar. No alto, o trio caminha pelas paredes como quem anda por ruas e no contraste entre o risco evidente e a segurança e precisão dos atores brota a poética desse espetáculo. Deitar no chão? "Basta ficar um pouco distante e dá para ver muito bem de pé", diz Angélica.As duas apresentações integram uma programação mais ampla, denonimanda No Centro da Arte, promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil. A intenção é interferir poeticamente na correria do cotidiano, como na primeira apresentação, em plena sexta-feira. Haverá outra, no sábado, no mesmo horário, as duas, claro, se não chover. "Estamos preparados para a chuva até mesmo se ela cair um pouco antes da apresentação. Mas não pode chover durante, aí o jeito é cancelar." É torcer pelo bom tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.