Credo do autor

"Creio na impossibilidade da existência, no humor das montanhas, no absurdo do eletromagnetismo, na farsa da geometria, na crueldade da aritmética e nas intenções assassinas da lógica.""Creio na não-existência do passado, na morte do futuro e nas infinitas possibilidades do presente.""Creio no cheiro do corpo da princesa Diana.""Creio nos próximos cinco minutos.""Creio na ansiedade, na psicose e no desespero.""Creio na morte das emoções e no triunfo da imaginação.""Creio em Tóquio, em Benidorm, La Grande Motte, Wake Island, Eniwetok, Dealey Plaza."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.