Corporação misteriosa manipula vida de artistas

Este livro trata da trajetória de uma associação clandestina mercantil e criminosa. Ela é uma verdadeira máquina de manipular vidas, que, ao conseguir obras originais, até então secretas, de grandes artistas, começa a especular com elas. A indagação surge: Shakespeare, Dostoiévski, Kafka, Hitchcock, Pavese, Lennon e outros foram vítimas da tal corporação? Foi em 1996 que o escritor Fernando Marías falou pela primeira vez desse fenômeno: no romance Esta Noche Moriré. Assim, José Carlos Somoza pergunta por uma versão desconhecida de Hamlet. Juan Bas fala do paradeiro de uma obra-prima de Hitchcock. Vicente Luis Mora rastreia um projeto desconhecido de Le Corbusier, e por aí vai.

O Estadao de S.Paulo

28 de setembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.