Coppola, Watergate e a primeira Palma de Ouro em Cannes

Foi um grande ano para Francis Ford Coppola, 1974. Ele não apenas ganhou os Oscars de melhor filme e direção por O Poderoso Chefão 2 como, no Festival de Cannes, recebeu a primeira de suas duas Palmas de Ouro por A Conversação. Houve outra, mais tarde, por Apocalypse Now, dividida com O Tambor, de Volker Schlondorff, em 1979. A Conversação é o atraente programa de hoje do TCM, às 23h45.Quando se pensa na presidência de Richard Nixon e no escândalo de Watergate, o primeiro filme que talvez venha à mente seja Todos os Homens do Presidente, de Alan J. Pakula. Mas os que mais bem ilustram a paranoia que caracterizou aquela época e a quebra de confiança nas instituições democráticas foram outros dois - Um Lance no Escuro (Night Moves), de Arthur Penn, de 1975, e justamente A Conversação, um ano antes.Ambos são interpretados por Gene Hackman. Para Coppola, ele faz esse especialista em escuta eletrônica que comete o erro de se envolver no caso em que trabalha e termina enredado numa trama de assassinato. Coppola discute a responsabilidade social, o poder (e os poderosos). A trilha de jazz contribui com brilho para o clima.

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.