Contradições russas sob o olhar de um esquecido

O russo Leonid Dobytchin (1894-1936) pertence a um grupo de escritores vanguardistas jogados à sombra pelo regime stalinista. Varrida do mapa nos anos 1930, sua prosa voltou a ser descoberta na década passada.Traduzido por Moissei Mountain e prefaciado por Aurora Fornoni Bernardini, este volume reúne contos escritos entre 1923 e 1931. A ficção de Leonid Dobytchin, comparada à de Joyce e à de Nabokov, transita com engenho da realidade ao absurdo grotesco. Sua narrativa se estrutura em planos justapostos, desnorteando o rumo da leitura. O autor cria recortes do mundo soviético nascente, expressando as contradições entre o totalitarismo em ascensão e os velhos símbolos russos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.