Contos escritos no idioma dos amantes

Meu AmorBeatriz BracherEditora 34141 págs., R$ 27 "Aquele que presencia os fatos e ama parece sempre ridículo. E será sempre ridículo falar a respeito. O amor arruína a capacidade de discernimento, e o amante - ou o amoroso - não discrimina, não separa, não conhece, não entende, não acerta. O amante não. Deve ser porque o amante, na verdade, é um portentoso sim. Daí que a linguagem do amor seja também inútil, errada, excessiva, ruminante. As personagens de Meu Amor falam justamente essa língua", escreve Noemi Jaffe na apresentação do livro. Trata-se, na verdade, da primeira incursão da autora - que já havia sido finalista dos prêmios Jabuti e Portugal Telecom com o romance Antonio, de 2007) - pelo universo dos contos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.