Comédia romântica é manual do namoro sem compromisso

Eu Odeio o Dia dos Namorados sugere a fórmula: não ultrapasse cinco encontros

, O Estadao de S.Paulo

24 de abril de 2009 | 00h00

John Corbett engordou, ficou com o rosto mais redondo. Nia Vardalos, pelo contrário, emagreceu. O rosto ficou mais comprido, o que ressalta o nariz, que ela equilibra com o penteado alto. John Corbett e Nia Vardalos estabeleceram-se como dupla romântica graças ao sucesso inesperado de Casamento Grego. Há sete anos, o longa de Joel Zwick, escrito pela atriz, foi aquilo que os norte-americanos chamam de sleeper. Uma produção independente, modesta, de US$ 5 milhões, estourou na bilheteria e fez US$ 100 milhões somente nas bilheterias dos EUA. A história da garota grega pressionada pela família - o pai - a se casar e que sente chegar os 30 anos sem nenhuma proposta toma outro rumo quando ela descobre esse ?não? grego por quem se apaixona, mas não é fácil convencer a família a aceitar sua escolha.   Veja o trailer de Eu Odeio...Passado este tempo, Nia Vardalos agora não apenas escreve como dirige Eu Odeio o Dia dos Namorados. A novidade é que, após o sucesso de sua comédia romântica, Nia resolveu fazer um filme que segue o caminho inverso. A heroína de Eu Odeio o Dia dos Namorados institui o antinamoro como norma de vida. Segundo ela, cinco encontros é tudo a que um casal pode aspirar, antes que o desgaste natural de toda relação termine por separá-los. A personagem é florista e tem mil teorias sobre o amor. Todas se baseiam no pressuposto de que, durante os cinco encontros, a mulher deve manter as pernas fechadas.É o que ela própria não faz e no quarto encontro a florista e seu vizinho, que abriu um restaurante espanhol, vão para a cama, onde permanecem dois dias, o que gera um mal-entendido. Ele pensa que já tiveram cinco encontros, na conta dela ainda falta um. Todo o quiproquó do filme está ligado à desmontagem das teorias de Nia. Participam a mãe, os amigos gays que são seus funcionários na casa de flores, etc. O pai é personagem importante e, desta vez, Nia é ressentida com ele, porque era adúltero, traía a mãe e foi com medo dos homens que a agora quase ?titia? estabeleceu sua teoria do antinamoro. Psicanálise elementar.Ao contrário de Casamento Grego, Eu Odeio Dia dos Namorados talvez tenha dificuldade para encontrar um público específico, um pouco porque não se trata da clássica comédia romântica e, para dizer a verdade, não é comédia de espécie alguma. Odeio tem um sério problema de ritmo que atravanca boa parte de sua duração. O filme é uma sucessão de piadas truncadas, como se avançasse aos solavancos. Só bem depois da metade é que ele se aproxima do velho formato e vira uma comédia romântica engraçadinha. A serenata que você viu no trailer é simpática e o desenho do coração é uma ideia interessante. Nia, no filme, assemelha-se a Poppy, heroína de Simplesmente Feliz, de Mike Leigh. Poppy é irritantemente feliz. Nia segue sua trilha no começo, antes de surtar por conta da desatenção de Corbett (mas ele também está em crise). Até isso faz parte das esquisitices do filme de Nia Vardalos. ServiçoEu Odeio o Dia dos Namorados (I Hate Valentine?s Day, EUA/2009, 89 min.) - Comédia romântica. Dir. Nia Vardalos. 12 anos. Cotação: Regular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.