Divulgação
Divulgação

Com 'O Moderno', Beatriz Milhazes é um dos destaques de leilões de arte latina em NY

Obra alcançou US$ 1,2 milhão; Cícero Dias teve recorde de preço na Sotheby's com a aquarela sobre papel 'A Difícil Partida'

Tonica Chagas, Especial para O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2015 | 15h19

NOVA YORK  - Posto em leilão pela primeira vez depois de pertencer a uma coleção particular europeia por mais de meio século, Composition Nord - Art Constructif, pintado em 1931 por Joaquín Torres-García (1874-1949), marcou novo recorde mundial de preço pago para obra do pintor uruguaio em venda pública. Com estimativa entre US$ 1,5 milhão e US$ 2 milhões, ele foi vendido por US$ 2,1 milhões na Christie's, em Nova York. 

Pintura a óleo sobre madeira e compensado, o quadro também alcançou o maior valor entre os cerca de 600 lotes de arte latino-americana oferecidos nesta temporada de outono pelas três maiores casas de leilão na cidade. As vendas promovidas entre quarta-feira e sábado da semana passada pela Phillips, Christie's e Sotheby's totalizaram quase US$ 53 milhões.

Criado no período em que Torres-García viveu em Paris, Composition Nord - Art Constructif é considerado o anteprojeto do Construtivismo Universal, proposta estética defendida pelo artista. O recorde anterior para uma obra dele em leilão foi marcado em maio de 2008 pelo óleo sobre tela Constructif Mysterieux, de 1932, vendido na Sotheby's por US$ 1,7 milhão. O pintor está sendo celebrado pelo Museum of Modern Art (MoMA) de Nova York com retrospectiva que fica em exposição até 15 de fevereiro.

Entre as obras de brasileiros, O Moderno (2002), de Beatriz Milhazes, ficou entre os três lotes que ultrapassaram US$ 1 milhão. Na Christie's, o segundo maior preço depois do que foi pago pelo quadro de Torres-García foi para Tres Personajes (1970), do mexicano Rufino Tamayo (1899-1991). Com estimativa entre US$ 1,5 milhão/US$ 2 milhões, o óleo e areia sobre tela foi comprado por US$ 1,3 milhão. Na Sotheby's, outra obra de Tamayo ocupou o primeiro lugar dos preços mais altos. Avaliado entre US$ 1,2 milhão/US$ 1,6 milhão, o óleo sobre tela Bañistas en Cancún (1988) saiu por US$ 1,3 milhão. (Todos os preços incluem a comissão da empresa de leilões). O Moderno (2002), quadro de Beatriz para o qual os especialistas da Phillips calculavam preço entre US$ 1 milhão/US$ 2 milhões, foi levado por US$ 1,2 milhão. Este mesmo quadro foi vendido pela Phillips de Londres, em 2011, pelo equivalente a US$ 1,1 milhão.

Os leilões de arte latino-americana também tiveram recordes de preços para artistas brasileiros. Escultura de Corte, de Amílcar de Castro (1920-2002), executada possivelmente no início da década de 1990 e com estimativa entre US$ 60 mil/US$ 80 mil, foi vendida por US$ 68,7 mil; antes dela, o valor mais alto foi pago por uma pintura de 1989, sem título e de acrílica sobre tela, vendida em 2013 pela Bolsa de Arte, no Brasil, pelo equivalente a US$ 51 mil. 

Com avaliação igual a de Escultura de Corte e também à venda na Christie's, a acrílica sobre tela Square Soap Bubble (2012), da brasileira radicada em Nova York Janaina Tschäpe, saiu por US$ 81,2 mil. O recorde anterior para essa artista era do óleo sobre tela Micromania, vendido em leilão no Japão em março de 2012 pelo equivalente a US$ 13,1 mil.

O pernambucano Cícero Dias (1907-2003), que se destaca entre os pioneiros do surrealismo na América Latina, teve recorde de preço na Sotheby's com a aquarela sobre papel A Difícil Partida, da década de 1920. O quadro pertencia a uma coleção particular francesa, era avaliado entre US$ 100 mil/US$ 150 mil e foi adquirido por US$ 262 mil. Uma retrospectiva do pintor está agendada para exibição em São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro entre julho de 2016 e junho de 2017.

Revezando-se nos últimos anos com Beatriz Milhazes como artista brasileiro vivo com obra mais cara, Adriana Varejão manteve essa posição entre os nacionais representados no leilão da Christie's. Integrante de um bloco especial de 20 lotes oferecidos pelo Brazil Golden Art (BGA), primeiro fundo de investimento privado do País que é exclusivo para arte, Espelho D'Água, óleo e gesso criado por Adriana em 2008, tinha estimativa entre US$ 300 mil/US$ 500 mil e foi vendido por US$ 365 mil.

Até 2 de dezembro, a Christie's está promovendo seu primeiro leilão exclusivamente online de arte latino-americana. Com pinturas, esculturas, desenhos e fotografias, In the Flesh reúne 31 obras modernas e contemporâneas que têm o nu como tema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.