Handout / MSCHF / AFP
Handout / MSCHF / AFP

Coletivo de arte compra obra Andy Warhol para vendê-la no meio de outras 999 cópias

A ideia é criticar o conceito de 'autenticidade' e 'exclusividade' que prevalece no mercado de arte

AFP, Agência

27 de outubro de 2021 | 14h50

O coletivo de arte de Nova York MSCHF colocou à venda 1.000 cópias de um desenho de Andy Warhol pelo mesmo preço, com o original entre eles.

Na página chamada "Museu da Falsificação", o MSCHF afirma ter comprado Fairies (Fadas), um desenho de 1954 do mestre da pop art, por 20.000 dólares.

O objetivo do coletivo criado em 2016 - especializado em operações de reapropriação de obras de arte e comércio de objetos - era fazer 999 exemplares exatos colcados à venda com o autêntico.

Na segunda-feira, 25, colocou à venda 1.000 cópias do que o MSCHF considera uma nova obra, intitulada Talvez a verdadeira cópia de Fadas de Andy Warhol. As cópias "foram vendidas no mesmo dia" por US $ 250 a peça, disse o grupo.

O MSCHF (por "Mischief", travessura em inglês), que tem sede no Brooklyn, postou na internet um vídeo mostrando a técnica usada para fazer as cópias: um robô que copia o desenho, um processo de "envelhecimento artificial" com luz, calor e umidade e depois uma reprodução manual do selo da Fundação Warhol e anotações a lápis, explicou Kevin Wiesner, um dos integrantes do grupo, por e-mail à AFP. 

"Se um curador pudesse comparar cada desenho, acabaria descobrindo o original, mas é improvável que esse cenário ocorra", acrescentou.

Além da operação financeira bem-sucedida, já que arrecadou US $ 250 mil com a venda, o MSCHF garante que busca criticar o conceito de "autenticidade" e "exclusividade" que prevalece no mercado de arte.

"Nosso objetivo é 'destruir' o desenho quebrando a cadeia de confiança", disse Wiesner. 

Contactada pela AFP, a Fundação Warhol não quis comentar. 

Um dos últimos sucessos do MSCHF foi a criação e venda do tênis "satânico" (a US $ 1.018 o par) que supostamente continha uma gota de sangue humano na sola, em associação com o rapper americano Lil Nas X.

Atacado na justiça pela Nike, fabricante do modelo original, por falsificação e embaçamento da marca, o MSCHF decidiu chamá-lo de Satan shoes.

Tudo o que sabemos sobre:
Andy Warholartes plásticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.