Stephane de Sakutin/AFP
Stephane de Sakutin/AFP

Coleção pessoal de criador da Givenchy é leiloada em Paris por quase 600 milhões de reais

Entre as peças que pertenceram ao estilista, que morreu em 2018, estão pinturas, esculturas e até móveis Régence

Redação, AFP

20 de junho de 2022 | 12h54

A coleção pessoal do estilista francês Hubert de Givenchy, que morreu em 2018, foi leiloada por mais de 114 milhões de euros em Paris, o dobro de sua estimativa de base, anunciou nesta segunda-feira, 20, a Christie's, que organizou a venda. 

Cerca de 800 lotes principais, desde pinturas ou esculturas de mestres, até móveis Régence do século XVIII, foram propostos durante os quatro leilões físicos de 14 a 17 de junho. Dois leilões de 478 lotes menores terminarão na quinta-feira, 23.

Os leilões físicos totalizaram € 114,4 milhões (ou a estimativa base era de € 50 milhões), estabelecendo 19 recordes mundiais de móveis antigos de David Roentgen, Domenico Piola e Piero Dorazio, disse a Christie's em comunicado. 

O lote estrela, La Femme Qui Marche, de Alberto Giacometti, foi vendido por 27 milhões de euros, tornando-se a obra mais cara leiloada na França desde o início do ano. 

Cinco dos lotes foram vendidos por mais de 5 milhões de euros e incluíam obras de Joan Mirò e Pablo Picasso. Nesses leilões participaram compradores de todo o mundo, sendo 58% da Europa e Oriente Médio, 30% das Américas e 12% da Ásia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.