Nickolas Muray/ EFE
Nickolas Muray/ EFE

Coleção de fotos inéditas de Frida Kahlo é vendida por US$ 35 mil em Nova York

Coleção pertencia ao húngaro Nickolas Muray, que inlcui vários retratos nunca vistos dos pintores Frida Kahlo e Diego Rivera

Redação, EFE

07 de abril de 2019 | 14h53

Uma coleção de 78 fotos inéditas do húngaro Nickolas Muray, entre elas vários retratos nunca vistos dos pintores Frida Kahlo e Diego Rivera, foi arrematada por US$ 35 mil em um leilão realizado nesta sexta-feira, 5, em Nova York.

O lote era um dos 189 que faziam parte do leilão intitulado Photographs, com uma mostra de autores que abrangeu 150 anos de história e artigos de valores entre US$ 1 mil e US$ 500 mil.

Muray, que colaborou com as revistas Vanity Fair e Harper's Bazaar, conheceu Frida durante suas visitas ao artista Miguel Covarrubias no México e iniciou uma aventura de uma década com ela em 1931, época na qual retratou ambos e Diego Rivera, entre outros.

Algumas destas fotos mostram a pintora em cenas corriqueiras, como sentada à mesa antes de comer, ou nas áreas externas de sua casa, pensativa, sentada diante de um cacto.

"Com figuras que vão desde Carl van Vechten, o compositor Carlos Chavez, o ilustrador John Held, Jr., a artista realista social Marian Greenwood, o muralista Roberto Montenegro até a atriz Margo Albert, as fotografias oferecem um salto fascinante à paisagem cultural do México dos anos 20, 30 e 40", descreveu a Sotheby's, que organizou o leilão, em seu site.

O preço mais alto estimado pela casa de leilões nova-iorquina (US$ 500 mil) era para a obra Pelikan Tinte, do artista russo El Lissitzky, uma peça "extremamente rara" que combina radiografia e tipografia e não obteve o valor o máximo no leilão, já que foi arrematada por US$ 459 mil.

A Sotheby's também chegou a colocar à venda um autorretrato do artista Andy Warhol, que mostrava o ícone da pop-art com uma exuberante peruca e óculos de sol ao estilo aviador.

A foto, de apenas 10 centímetros de comprimento por sete de largura, foi tirada um ano antes da sua morte em 1987 e, embora seu valor estimado fosse de US$ 20 mil a US$ 30 mil, finalmente acabou sendo removida.

Além disso, a casa de leilões selecionou um grupo de "mulheres pioneiras" no mundo da fotografia desde o século 19, entre as quais se destaca Orchid Cactus (Cactus Blossom), de Imogen Cunningham, um exemplo dos estudos de flores que lhe deram renome internacional e dos quais nenhuma outra impressão é conhecida, que foi leiloada por US$ 150 mil. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.