Claudia de Souza revisita seu repertório

Coreógrafa que comemora 30 anos de carreira mostra Sons e Jogo de Dentro

Livia Deodato, O Estadao de S.Paulo

05 de fevereiro de 2009 | 00h00

A própria Claudia de Souza se espantou ao contabilizar o seu tempo de carreira no início de 2009, quando se preparava para dar continuidade às remontagens do repertório da companhia liderada por ela. Já são três décadas de trabalho profissional, mas a coreógrafa e bailarina avisa que a extensa dedicação na área se dá pelo fato de ter iniciado sua trajetória muito jovem, aos 16 anos. "Apesar do susto, é verdade", brinca Claudia.Aos 46 anos, ela agora reestreia dois espetáculos com a Cia. Danças, cujo nome genérico serve para abrigar diversas possibilidades da arte. Jogo de Dentro, de 1998, e Sons, de 2001, estão sendo remontados sob um olhar atualizado e serão apresentados nos próximos fins de semana no Teatro de Dança. O grupo, que já soma 12 anos de atividades, foi contemplado com o Programa de Fomento à Dança há dois anos, o que possibilitou a revisitação do repertório desde o ano passado - além de estrear Adeus Corpo Gentil, Morada do Meu Desejo, em 2008 a Cia. Danças reapresentou Páris (1999), Sete e a Mesa (2003) e Q (2007).De hoje a domingo, Claudia vai mostrar a coreografia que nasceu sem música, apesar de seu título dizer exatamente o contrário. "Sons foi criado a partir de uma dramaturgia que já estava concebida, sobre a qual alguns músicos realizaram improvisações. Desta vez, a percussão e as cordas tocadas por Celso Nascimento serão responsáveis por provocar estímulos aos movimentos", conta.Já na próxima semana, será apresentado o espetáculo que foi premiado como a melhor criação em dança no ano de 1998, pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), e que foi o resultado da pesquisa de Claudia sobre a relação entre a técnica de Martha Graham e a capoeira. "Jogo de Dentro é baseado na dança moderna, estilo a que dedico meus estudos."Um novo trabalho também vem sendo desenvolvido pela coreógrafa, inspirada pelo universo das danças sociais brasileiras, mais especificamente o samba. E tudo começou como uma brincadeira. "A pesquisa começa na observação da dança e como o corpo fica nessa situação. A partir desse laboratório, cria-se a dramaturgia", adianta Claudia sobre a peça ainda sem previsão de estreia.ServiçoCia. Danças, de Claudia de Souza. TD. Av. Ipiranga, 344, 2189-2555. 5.ª a sáb., 20h; dom., 18h. R$ 4. Até 15/2

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.