César consagra Séraphine com sete prêmios

O filme Séraphine, de Martin Provost, foi o grande vencedor da 34ª edição dos prêmios César, o Oscar do cinema francês, entregues na sexta-feira. O longa-metragem - que narra a extraordinária vida de Séraphine de Senlis, uma mulher nascida em 1864 e que foi pastora e dona de casa antes de se transformar em pintora e submergir-se na loucura - ficou com os prêmios de melhor filme, atriz (para Yolande Moreau), roteiro original, fotografia, trilha sonora, figurino e cenário. Mesrine, o grande favorito, venceu as categorias de melhor diretor, para Jean-François Richet, e melhor ator, para Vicent Cassel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.