Cervila e sua adaptação de Otelo

Bailarino, há 16 anos na Argentina, se apresenta aqui pela 1.ª vez

Livia Deodato, O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2008 | 00h00

O brasileiro Junior Cervila foi morar em Buenos Aires há 16 anos por ter recebido propostas interessantes de trabalho na dança - e de lá nunca mais saiu. Participou do filme Tango, de Carlos Saura, indicado para o Oscar de melhor estrangeiro em 1998, foi dançarino de Julio Iglesias, participou de diversas montagens na Broadway e foi convidado a se apresentar num exclusivo pocket show de tango para Mick Jagger e sua trupe, quando passaram pela Argentina em 2006. ''O mais difícil é eu me apresentar no Brasil. Desde 1992, quando me mudei para a Argentina, só vim a trabalho para cá uma única vez e sozinho - eu fui o primeiro bailarino do show Tango Emoción, apresentado no Tom Brasil, em 2004'', diz.Celos (ciúmes, em espanhol), que Cervila traz ao Brasil pela primeira vez, estreou no Japão em 2006 e já passou pelos Estados Unidos, México e Argentina. O espetáculo, baseado na obra Otelo, de Shakespeare, é ambientado com diversos estilos musicais, entre tango, salsa, zouk e samba, de acordo com cada cena da trágica história. ''Aqui, no Brasil, Celos será apresentado tal e qual a obra do dramaturgo inglês. No Japão, o produtor não queria o fim trágico (Otelo mata a esposa e depois se mata), muito provavelmente pelo fato do alto índice de suicídios lá. A adaptação - como se um dos integrantes estivesse assistindo a um filme e, no fim, ele rebobina a fita e muda o fim - não me agrada, afinal, estamos falando de uma obra-prima. É como botar um bigode na Monalisa'', conta Cervila.Nas três únicas apresentações que Cervila vai fazer por aqui, com os 16 bailarinos da companhia que leva o seu nome, o bailarino promete não deixar ninguém cair na monotonia - e dar seu toque brasileiro especial. ''Quando termina, tudo vira carnaval.'' Serviço Celos. Avenida Club (450 lugs). Av. Pedroso de Morais, 1.036. 6.ª e sáb., 21 h; dom., 19h30.R$ 60 e R$ 50 (antecipado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.