Celso Sim ensina: insistir no sonho vale a pena

Cantor e compositor inicia turnê do terceiro disco, que deveria ser apenas de intérprete, mas ficou autoral

Adriana Del Ré, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2008 | 00h00

O cantor e compositor Celso Sim quer uma vida artística sem paredes. Seu terceiro CD, Celso Sim, Vamos Logo sem Paredes! vai se desdobrar em oito shows em São Paulo, começando hoje, no Sesc Avenida Paulista, e uma turnê por outras dez cidades brasileiras. Além disso, duas faixas inéditas - uma releitura de Carinhoso (João de Barro e Pixinguinha) e Vamos Logo sem Paredes! (Guilherme Wisnik e a banda Voodu Music) - só estarão disponíveis no site www.vamoslogosemparedes ou www.celsosim.com.br, junto com outras canções de Celso que nunca foram gravadas, entre elas, uma produção musical que desenvolveu para o Teatro Oficina durante 14 anos.Celso Sim, Vamos Logo Sem Paredes! foi um projeto selecionado na quarta edição do Programa Petrobrás Cultural. O compositor já tinha tentado emplacar projetos em edições anteriores do edital, mas sempre sem sucesso. Quase tinha desistido de vez, mas resolveu fazer outra tentativa. E eis que uma amiga veio com uma dica. Adepta ao candomblé, ela lhe ensinou duas frases encantatórias, para atrair coisas boas: ?vamos logo sem paredes? e ?fala, malandro?. Ele usou a primeira e, coincidência ou não, seu projeto foi escolhido. A segunda frase, deixou para os shows.Dentro desse projeto, o novo CD poderia ter virado um trabalho de intérprete, mas acabou descambando para um processo mais autoral. A convivência com Arthur Nestrovski e Zé Miguel Wisnik nos últimos três anos, segundo Celso, influenciou seu jeito de cantar. Por isso, o desejo de exteriorizar essa mudança como intérprete. O disco, no entanto, não fica só nas gravações ou regravações de outros compositores, como Inverno (Dormir), de Fred Martins e Marcelo Diniz, e Saudosa Maloca, de Adoniran Barbosa. Há sinais de uma obra própria, da qual se incluem O Desejo do Desejo do Desejo, dele e Pepê Mata Machado; Sebastição, outra parceria da dupla; Saudade do Futuro, canção em homenagem a Paulinho da Viola.Sua porção intérprete, ele dará vazão mesmo durante seus shows, e realizará um velho sonho: cantar As Curvas da Estrada de Santos, de Roberto e Erasmo. ServiçoCelso Sim. Sesc Avenida Paulista. Espaço 5º Andar (50 lug.). Av. Paulista, 119, 3179-3700. 4.ª e 5.ª, 20h. R$ 12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.