Casar ou não casar? Eis a questão

Ele não Está Tão a Fim de Você une humor, romance e, acredite, inteligência

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2009 | 00h00

Existe, sim, vida inteligente na comédia romântica made in Hollywood e a prova disso é Ele não Está Tão a Fim de Você, que estreia hoje em circuito nacional. O filme de Ken Kwapis baseia-se no best seller de Greg Berendt e Liz Tuccillo. Ostenta um elenco de nomes atraentes, mas até os menos conhecidos você vai ver que sabe quem são, só não liga os nomes às pessoas. Drew Barrymore (também produtora), Jennifer Aniston, Jennifer Connely, Ginnifer Goodwin, Scarlett Johansson, Ben Affleck, Kevin Connolly, Justin Long etc. Todo esse elenco de gente bonita e talentosa - alguns e algumas mais, é verdade - dá vida a personagens que nasceram de uma verdadeira ginástica dos roteiristas Abby Kohn e Marc Silverstein. Veja o trailer desta comédia Berendt e Tuccillo participam da equipe de criação de Sex and the City. Com base nas questões levantadas pela série famosa - Sarah Jessica Parker é referida nos diálogos como exemplo de elegância e sensualidade -, a dupla escreveu seu livro de autoajuda que funciona como um guia prático para mulheres. Logo no começo, uma garotinha é agredida por um menino no parquinho e, quando ela vai chorar no colo da mãe, ouve a explicação de que homens são assim mesmo - é a forma de eles expressarem que estão a fim de você, menina. Pelo menos é o que as mulheres são condicionadas a acreditar. O livro - e o filme - mapeiam uma série de situações para abrir os olhos das mulheres. É um guia prático para estabelecer graus de interesse e aproximação. Na maioria das situações elencadas, uma mulher esperta consegue estabelecer, em definitivo, se o sujeito está ou não interessado nela. O título é claro - Ele não Está Tão a Fim de Você. Na verdade, ou na ficção, está, sim.Como guia de autoajuda, o livro não chega a definir personagens e o primeiro desafio da dupla de roteiristas foi mesmo condensar histórias e situações em uma dezena de figuras. Existe o casal que vive junto há sete anos, mas ele não acredita na instituição casamento e não quer se casar; o marido fiel que finalmente dá uma escapada - também, como resistir a Scarlett Johansson de sutiã e calcinha? Nem sendo de ferro -; a garota ansiosa que nem bem terminou o primeiro encontro já está pensando no segundo e o rapaz que lhe serve de cicerone, guiando-a no emaranhado de sinais conflitantes que os machos emitem na verdadeira ciranda que leva à perpetuação da espécie; e por aí afora. Aliás, é bom destacar que se trata de um guia para relacionamentos rigorosamente heteros. Os raros gays da história são amiguinhos do escritório, sem outra função na trama que não a de fornecer alívio cômico em determinadas partes - não por acaso, gay traduz-se por alegre, não?Pode-se, a propósito, fazer uma ponte com outra comédia em cartaz desde a semana passada. Pagando Bem Que Mal Tem, de Kevin Smith, mostra um casal de amigos na maior dureza que resolve fazer um filme de sexo explícito para pagar as dívidas. O desafio do filme é fingir que se trata da rodagem de um pornô, quando se trata de uma comédia romântica baseada no batido tema da amizade que vira amor (e o casal do filme descobre isso na cama - perdão, eles nem chegam a deitar-se; fazem de pé mesmo). Ele não Está Tão a Fim de Você também finge que vai desmistificar comportamentos estereotipados de machos e fêmeas, mas, no limite, pelo menos alguns dos casais do filme se resolvem de forma a estimular novas fantasias das almas mais românticas (as mulheres) na plateia dos cinemas.Faltam duas informações necessárias - na terça, realizou-se no PlayArte Bristol uma sessão em parceria com a editora do livro. A plateia era formada predominantemente por casais jovens, que adoraram. Como cinema não deixa de ser, também, consumo, a ideia é estimular um outro tipo de casamento - veja o filme, leia o livro (e vice-versa). Editores, livreiros, distribuidores, exibidores, todos vão ficar felizes - e você, também, muito provavelmente (mesmo que o filme seja um pouquinho longo demais). A outra refere-se ao diretor. Ken Kwapis, de 51 anos - fará 52 em agosto -, vem se especializando em comédias sobre relacionamentos, com resultados um tanto desconexos. Um Conto Quase de Fadas, de 1997, com Fran Drescher, a Nanny, e Timothy Dalton, era simpático, como Quatro Amigas e Um Jeans Viajante, de 2005. Neste último, quatro amigas de diferentes tamanhos compartilhavam o mesmo jeans, que, por um toque de mágica, ficava perfeito em cada uma delas. Um dos primeiros diálogos de Ele não Está... mostra duas afro-americanas gordonas que discutem justamente como certos homens, com suas ?técnicas? de rompimento, induzem as mulheres a comer para compensar a frustração. Os filmes citados apontam para uma progressão na qualidade da obra de Kwapis? Que nada - o filme anterior do cineasta, Licença para Casar, era uma comédia horrorosa, com Robin Williams como aquele reverendo que fazia de tudo, mas tudo mesmo, para impedir o sexo antes do casamento, garantindo que as noivas de sua paróquia chegassem virgens ao altar. ServiçoEle Não Está Tão a Fim de Você (EUA/2009, 129 min.) - Comédia romântica. Dir. Ken Kwapis. 12 anos. Cotação: Bom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.