Cantoras, bossa nova e mistureba de gêneros

Sem tendência predominante na música brasileira, destaque é dos independentes

Lauro Lisboa Garcia, O Estadao de S.Paulo

31 de dezembro de 2008 | 00h00

Olhando para trás, lembra-se que há 50 anos a bossa nova de João Gilberto, Tom Jobim e Vinicius de Moraes veio como uma onda estética que tudo depurou na canção brasileira. Dez anos depois Mutantes, os baianos, Rogério Duprat e Nara Leão tropicalizaram tudo de novo, incorporando a bossa, a jovem guarda, a guitarra do rock, etc. E 2008, o que terá para ser contado no futuro? Como grande parte da década que se aproxima do fim, este foi um ano nebuloso em termos de mercado e de muita produção nacional. Difícil apontar o que se fez de melhor, quem brilhou mais no cenário brasileiro. A segmentação e o não estilo, com a propagação de música avulsa via MP3, tendem a predominar, mas também foram produzidos bons álbuns temáticos.O certo é que a produção independente continua a ser o nicho de maior interesse, quando se considera que música popular ainda pode ser arte, apesar do que a televisão vende como detergente. E nisso reverberam lições da revolucionária bossa nova, o espírito libertário do tropicalismo e a busca por fontes de água menos contaminada - o moderno em provável harmonia com o antigo, o tradicional. Curumin, DJ Dolores, Silvia Machete, Zé Renato e Ná Ozzetti são alguns dos que mostraram bons resultados nessa confluência.O delicioso show de Ná em homenagem a Carmen Miranda foi sucesso de público atendendo aos gostos exigentes, trazendo o espírito de Carmen para o século 21, com personalidade própria e respeito ao original. Zé Renato, ao mesmo tempo que se aproximou de uma vertente mais pop, sofisticou o lado B da jovem guarda com belas harmonias no CD É Tempo de Amar. Curumin misturou samba com soul, dub, rock e hip-hop no ótimo CD Japan Pop Show, que ganhou forma mais encorpada no show do palco indie do festival Planeta Terra.Em contrapartida, houve o fenômeno teen de internet Mallu Magalhães, que ao vivo, no mesmo festival, não fez jus à fama repentina, com seu folk retrô derivativo e voz sem nuance. O que não falta neste País, como se sabe, são vozes femininas brotando do nada o tempo todo. Mas muito raramente surge alguma cantora que se impõe pela personalidade. Nesse quesito, 2008 tem saldo positivo com a afirmação da baiana Márcia Castro, que engrenou em São Paulo com o ótimo material do CD Pecadinho, lançado em 2007. Com a mesma verve irreverente, também começa a brilhar com mais intensidade ao vivo a carioca Silvia Machete, que acaba de lançar o CD/DVD Eu Não Sou Nenhuma Santa. Dois sopapos na caretice da MPB atual.Colegas na banda Dona Zica, Iara Rennó e Andréia Dias também tiveram sua boa cota de ousadia ao lançar os respectivos álbuns-solo de estreia - Macunaíma Ópera Tupi e Vol. 1. Iara venceu o festival dentro da Semana da Canção Brasileira em São Luiz do Paraitinga no ano passado. Aberta a todas as tendências, a Semana, com curadoria da cantora Suzana Salles, confirmou sua importância na segunda edição este ano e colocou em evidência o talentoso compositor Fabio Barros no festival. Além de Ná cantando Carmen, o show resultante de outro dos melhores CDs do ano - Padê, de Juçara Marçal e Kiko Dinucci - figurou na extensa programação. Outro Kiko, o Klaus, pernambucano, também merece entrar na lista dos discos mais bacanas, com O Vivido e o Inventado.Os 50 anos de bossa nova foram comemorados com duas exposições no Parque do Ibirapuera; memoráveis shows do pai da matéria, João Gilberto; um concorrido encontro de Caetano Veloso e Roberto Carlos em homenagem a Tom Jobim, que dividiu opiniões; e um equivocado tributo a João Donato, com Marcelo Camelo, Bebel Gilberto, Adriana Calcanhotto e outros que se saíram melhor do que eles. Milton Nascimento uniu-se ao Jobim Trio e fez muito bem sua parte no sofisticado CD Novas Bossas.Outra efeméride que rendeu notícia foi o centenário de nascimento do sambista carioca Cartola, morto em 1980. Curiosamente, quem prestou o melhor tributo a ele foi a cantora paulista Cida Moreira, com o belo CD Angenor. A escola de samba Mangueira, da qual Cartola foi um dos fundadores em 1928, preferiu investir no centenário do frevo (com um ano de atraso), atendendo a encomenda da Prefeitura do Recife.A capital pernambucana, por outro lado, realizou o Carnaval Multicultural, com extensa e encorpada programação de shows por toda a cidade, como nos últimos anos. Virou um grande festival da melhor música brasileira. O DJ Dolores - que lançou o ótimo terceiro CD, 1 Real, fundindo ritmos regionais com reggae, rock e outros gêneros - foi uma das atrações. Teve também encontros de Nação Zumbi e Paralamas, Siba, Zeca Baleiro e a Fuloresta, Silvério Pessoa com Manu Chao, o Rec Beat e muito mais.O dueto da incansável Maria Bethânia com a majestade cubana Omara Portuondo foi parar até na lista da revista Time. Mais emocionante, porém, foi o encontro de Almir Sater, Ivan Vilela, Adelmo Arcoverde, Paulo Freire, Pereira da Viola e Passoca no Auditório Ibirapuera para lançar o fabuloso projeto de DVD e livro Violeiros do Brasil, produzido por Myriam Taubkin.Da série "a gente podia ter passado sem essas coisinhas ridículas": Mart?nália cantando Don?t Worry, Be Happy, de Bobby McFerrin (a pior gravação do ano, para dizer o mínimo); Caetano Veloso chamando a crítica musical de "lixão da imprensa"; Ivete Sangalo investindo no filão infantil; a "ressurreição" de Gonzaguinha nas trilhas de novela. No mais, foi aprovada a lei que obriga o ensino de música nas escolas e Gilberto Gil deixou o cargo de ministro da Cultura e voltou a se dedicar a compor e cantar, lançando o bom CD Banda Larga Cordel. 15 Bons Brasileiros do Ano DJ DOLORES - 1 Real CURUMIN - Japan Pop Show IARA RENNÓ - Macunaíma Ópera Tupi ANDRÉIA DIAS - Vol. 1 ZÉ RENATO - É Tempo de Amar ARI BORGER - AB4 CIDA MOREIRA - Angenor KIKO KLAUS - O Vivido e o Inventado UAKTI - Blindness JUÇARA MARÇAL E KIKO DINUCCI - Padê TONINHO HORTA E ARISMAR DO ESPÍRITO SANTO - Cape Horn ROSA PASSOS - Romance MILTON NASCIMENTO E JOBIM TRIO - Novas Bossas GILBERTO GIL - Banda Larga Cordel ADRIANA MACIEL - 10 Canções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.