Paolo Roversi
Paolo Roversi

Calendário Pirelli 2020 destaca a força de Julieta e seu amor proibido por Romeu

Paolo Roversi fotografou Claire Foy, Mia Goth, Chris Lee, Indya Moore, Rosalía, Stella Roversi, Yara Shahidi, Kristen Stewart e Emma Watson na cidade de Verona

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2019 | 14h12

Convidado para criar as imagens que vão figurar no Calendário Pirelli de 2020, o fotógrafo italiano Paolo Roversi buscou retratar uma história relacionada a seu país. Foi o que o levou até Verona, cidade romântica em que William Shakespeare ambientou uma de suas mais conhecidas histórias, a do amor impossível entre Romeu e Julieta. Assim, no pomposo Teatro Filarmônico de Verona, foi apresentado nesta terça-feira, 3, o trabalho Procurando Julieta, em que Roversi buscou relacionar a personagem shakespeariana às diferentes personalidades da mulher moderna.

“Eu não diria que há uma nova Julieta – o que o calendário busca mostrar é minha procura de um ideal que atravessa épocas. É o ideal de uma mulher que simboliza a feminilidade, a ternura do amor, e as qualidades de uma mulher que une a fragilidade à força, a timidez e à rebeldia. Julieta é isto tudo”, disse ele que, para isso, selecionou um grupo de artistas de enorme representatividade em suas áreas, como Claire Foy, Mia Goth, Chris Lee, Indya Moore, Rosalía, Stella Roversi, Yara Shahidi, Kristen Stewart e Emma Watson.

Para isso, Roversi promoveu uma verdadeira revolução no calendário, que existe desde 1963 e cuja publicação só foi interrompida entre 1975 e 1983 graças à crise do petróleo. A primeira e mais significativa mudança foi o formato: ao invés de um calendário tradicional, aquele que se pendura em uma parede, ele preferiu uma produção fortemente inspirada em um libreto de ópera – ou seja, no formato de um livro. Também o conteúdo aumentou enormemente: o Calendário 2020 tem 132 páginas, com o anuário na capa, trechos de Romeu e Julieta e 58 fotografias a cores e em preto e branco, que retratam as protagonistas e a cidade de Verona.

Quando se abre a capa, é possível descobrir o desenho de um firmamento que representa o universo e que, idealmente, envolve a história de Julieta. Ainda na capa e também na contracapa, brilha o verdadeiro calendário em letras douradas. As datas de nascimento de Julieta, de seu encontro com Romeu, de suas núpcias e do falecimento de ambos também estão destacadas. A essas  datas,  juntam-se as de nascimento das protagonistas do Calendário, cujos nomes estão espalhados dentro da capa, no meio de estrelas e astros, reproduzindo uma abóbada celeste poética.

Roversi também propôs a filmagem de um curta-metragem, em que simula um teste de elenco, com as atrizes revelando seus sentimentos em relação à personagem – com isso, dispensou-se o tradicional making of. Com quase 20 minutos, o filme é precioso por apresentar sensações que só nascem em um clima de intimidade. “Busquei arrancar de cada uma o que realmente sente em relação à Julieta e o resultado foi sempre emocionante.”

Assim, é possível ver a espanhola Rosalía e a chinesa Chris Lee cantando e declamando trechos da obra em sua própria língua. Ou ainda a forte emoção provocada em Kristen Stewart que, após ler um trecho com falas de Romeu, simula a ingestão do veneno que vai encerrar sua vida. “Nesse momento, Kristen começou a chorar, assim como toda a equipe”, conta Roversi.

“Julieta é um belo exemplo da superação pela que passam as mulheres hoje em dia”, diz a jovem Yara Shahidi que, com apenas 19 anos, já se firma como ativista pelas causas feministas. “Ela é aquele menina que, no início da história, é frágil mas que, ao longo da trama, assume com determinação a personalidade de uma guerreira e, mesmo sua família sendo contra o casamento com Romeu, ela prefere a morte à resignação.”

Veja as fotos do Calendário da Pirelli de 2020 logo abaixo:

“Essa fortaleza sempre marcou o comportamento feminino ao longo da história”, acredita a atriz Whoopi Goldberg, que não participou das fotos, mas foi a mestre de cerimônias na festa desta terça. “As mulheres sempre foram resistentes, embora nem sempre isso fosse evidente. Somente agora é possível ver isso mais claramente.”

Por questões contratuais, Emma Watson não pode participar do filme de Roversi, que se torna o primeiro italiano a fotografar para o Calendário Pirelli que, ao longo dos anos, se tornou algo mais que uma luxuosa peça publicitária para a empresa italiana de pneus: item de colecionador, o objeto reflete também os anseios da sociedade na época, especialmente quando o fotógrafo convidado busca algo maior que simplesmente apresentar a nudez. Em 2015, por exemplo, a americana Annie Leibovitz, que se notabilizou como fotógrafa na revista Rolling Stone, escolheu mulheres que se destacavam em sua atividade, como a tenista Serena Williams

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.