Caixa traz seis minutos do novo Harry Potter

À espera de O Enigma do Príncipe, os filmes anteriores saem repaginados

, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2009 | 00h00

À espera do sexto exemplar da série, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, que estreia em julho, os fãs do bruxinho estão sendo contemplados com uma promoção especial da Warner. O objetivo é o consumo, mas quem resiste a (re)ver as cinco aventuras anteriores em DVDs repaginados, com novo visual? Se, em vez de cada DVD, isoladamente, você optar pelo box completo com os cinco, há uma surpresa - seis minutos inéditos de O Enigma do Príncipe são oferecidos como bônus.Devotos da saga criada por J.K. Rowling sabem como a autora que escrevia em bares, com a filha primogênita num carrinho ao lado, virou um fenômeno editorial - O Enigma do Príncipe vendeu 24 milhões de exemplares nas primeiras 24 horas. A transposição dos livros para o cinema tem sido feita por meio de operações que evitam ao máximo o risco. Como mãe zelosa, J.K. controla os passos de sua criatura na tela. Tudo passa pelo seu crivo. Tem dado certo, como marketing.Os dois primeiros filmes são os menos interessantes. Harry Potter e a Pedra Filosofal se ressente do caráter expositivo da saga e seus personagens. Não ajuda muito o fato de o diretor e roteirista Chris Columbus às vezes ser meio devagar. Seu Homem Bicentenário é um tédio, por mais bela que seja a história de Isaac Asimov. O segundo filme de Columbus, A Câmara Secreta, é um pouco melhor. A série realmente dá um salto com Alfonso Cuarón, quando o mexicano assina O Prisioneiro de Azkaban. Segue-se O Cálice de Fogo, de Mike Newell.Harry Potter cresce com seu público e esse é um dos elos com seus tietes. J.K. Rowling conseguiu fazer com que garotos e garotas avessos à leitura descobrissem o prazer dos livros (e volumosos!). O diretor do quinto filme, Peter Yates - A Ordem da Fênix -, é o mesmo de O Enigma do Príncipe. Yates conseguiu transformar o livro mais longo - A Ordem -, no filme mais curto, satisfazendo a autora e os devotos do bruxinho. Numa coisa Chris Columbus foi perfeito. Sua escolha de Daniel Radcliffe para o papel foi sábia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.