Cabra Marcado para Morrer e Santiago, tudo a ver

Pode ser mera coincidência, mas é bem-vinda. O Cine Brasil mostra hoje, na Cultura, às 22h40, Cabra Marcado para Morrer. Apesar das diferenças entre ambos, o filme de Eduardo Coutinho tem tudo a ver com Santiago, de João Moreira Salles, que estreou ontem nos cinemas.Em 1964, Coutinho foi ao Nordeste para realizar uma ficção inspirada na luta do líder camponês João Pedro Teixeira. A produção foi interrompida pelo vitorioso regime militar. Exatamente 20 anos depois, Coutinho fez um documentário sobre a ficção que não pôde concluir. Teixeira havia sido assassinado e, dos diálogos de Coutinho com a mulher do cabra - Elizabeth Teixeira, mãe de dez filhos - surgiu uma obra fundamental do cinema brasileiro.João Moreira Salles, há 13 anos, também colheu o depoimento de Santiago, mordomo da casa de seu pai, o banqueiro Walter Moreira Salles. João não conseguia montar o material. Foram necessários todos estes anos para ele perceber que Santiago não era sobre o outro, nem mesmo o mordomo, mas sobre ele, as suas lembranças, a sua casa, os seus pais. Surgiu um documentário sobre outro documentário que quase não foi feito e que tem momentos encenados. Documentário, ficção. Os limites são tênues, mas os dois filmes são grandes.

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2024 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.