Sérgio Guerini
Sérgio Guerini

Burle Marx ganha catálogo e debate sobre sua obra

Curador da mostra exibida pela Galeria Almeida e Dale conversa neste sábado (24), às 16 horas, com o colaborador do paisagista, José Tabacow

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2020 | 17h18

A Almeida e Dale Galeria de Arte lança neste sábado, 24, das 10h às 16h, o catálogo da exposição Burle Marx: Paraísos Inventados, que tem curadoria do crítico Guilherme Wisnik. Para marcar o lançamento, Wisnik conversa neste sábado, às 16h, com  José Tabacow, arquiteto e consultor ambientalista graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UFRJ que foi, sucessivamente, estagiário, colaborador, arquiteto colaborador e arquiteto associado de Burle Marx & Cia. Ltda. onde permaneceu por 17 anos. A conversa será transmitida ao vivo (instagram @almeidaedale) e posteriormente o vídeo ficará em exibição no canal do youtube da galeria (www.youtube.com/c/AlmeidaeDaleGaleriadeArte).

O catálogo já está disponível na versão digital para download gratuito no site www.almeidaedale.com.br. Para visitar a exposição e retirar um exemplar é necessário agendamento prévio pelo telefone (11) 3882-7120 ou e-mail (recepcao@almeidaedale.com.br). O horário de visitação da exposição, de segunda a sexta-feira, é das 10h às 18h. Aos sábados, das 10h às 16h.

Paraísos Inventados, a mostra, tem 12 pinturas, 10 projetos, maquetes e joias desenhadas por Burle Marx, o mais renomado paisagista brasileiro, colaborador do arquiteto Oscar Niemeyer e também pintor e designer. O curador Guilherme Wisnik destaca no catálogo a singularidade do seu paisagismo, que privilegiou a valorização de espécies nativas. “Marx constrói jardins que expressam de forma radical a cultura em que foram criados”, escreve Wisnik, lembrando que essas espécies nativas costumavam ser “desprezadas” ou “não percebidas” pelos paisagistas pré-modernos, que importavam a estética dos jardins ingleses e franceses com sua simetria artificial.

Não que Burle Marx fosse avesso à ordem. Wisnik destaca ainda “a adequação entre construção e natureza” como questão central na produção do paisagista e pintor. Ele foi, nas palavras do curador, não só um grande artista da paisagem e colecionador de espécies  como “um importante militante da ecologia, opondo-se de forma sistemática ao desmatamento e à destruição da natureza no Brasil”, já denunciando, durante o período da ditadura militar, o desastre ecológico na Amazônia.

Sua visão sobre a natureza não tinha, porém, nada de mítico, segundo Wisnik, que o apresenta como o antípoda de Frederik Law Olmsted, o homem que concebeu o Central Park de Nova York, “como um parque pitoresco que se contrapõe frontalmente à fria retícula abstrata da cidade”. A paisagem de Burle Marx não é uma celebração extemporânea da vida pastoral, conclui Wisnik, nem sugere uma “visão harmônica da vida”. Antes, diz o curador, seus projetos “expressam uma natureza instável, dinâmica, agressiva” – daí suas escolhas recaírem quase sempre por plantas avessas ao toque.

Na exposição, seus primeiros desenhos de jardins, da década de 1930, exemplificam essa inclinação para o agreste e por plantas de textura áspera e espinhentas, que quase expulsam o homem do paraíso edênico. Na pintura, a fragmentação cubista das telas de Burle Marx revela como o artista organizava seu mundo aos pedaços, em conformidade com a condição moderna – não se deve esquecer que sua geração, como admite num texto em que explica seus conceitos de composição em paisagismo, foi marcada pelo impacto do cubismo e do abstracionismo, constituindo a justaposição desses movimentos aos elementos naturais o caminho para sua formação como paisagista.

Conversa de Guilherme Wisnik e José Tabacow

Sábado dia 24/10 às 16h

Transmissão ao vivo pelo instagram @almeidaedale e posteriormente disponibilizado no canal do youtube da Galeria:

www.youtube.com/c/AlmeidaeDaleGaleriadeArte

Lançamento catálogo 'Burle Marx: Paraísos Inventados'

Sábado dia 24/10 das 10h às 16h

Almeida e Dale Galeria de Arte:

Rua Caconde, 152 – Jd. Paulista, São Paulo.

Visitação mediante agendamento: (11) 3882 7120 ou e-mail: recepcao@almeidaedale.com.br

 

Tudo o que sabemos sobre:
Oscar Niemeyerdesmatamentopaisagismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.