Bruno Morais se firma como compositor e cantor

Com show no Sesc Pompeia, seu segundo álbum, A Vontade Superstar, é uma das boas surpresas do ano

Lauro Lisboa Garcia, O Estadao de S.Paulo

14 de maio de 2009 | 00h00

O segundo álbum de Bruno Morais, A Vontade Superstar (YB Music), que tem show de lançamento hoje no Sesc Pompeia, é uma das boas surpresas do ano. Com um número espantoso de convidados (cerca de 40), que colaboraram com ele ao longo de três anos de produção, o consistente CD também indica uma mudança de rumos na carreira deste paranaense de Londrina radicado em São Paulo. Se no primeiro álbum, Volume Zero, sua música soava mais "eletrônica", apesar de não ter abandonado essas texturas ele está mais sofisticado, com diversos tons de música negra no ritmo e na personalidade do CD: samba, jazz, soul, blues, reggae, rhythm and blues. Ouça trecho de Pode SorrirAlém de se aprimorar como compositor e produtor, ele se firma como cantor, mudou de estilo e revela que passou a acreditar no próprio talento. Dono de voz calorosa e afinada como poucos atualmente, Bruno tem Chet Baker e João Gilberto como principais referências. Apesar de sua voz ter a ver com bossa nova, não canta nada do gênero.As canções de A Vontade Superstar foram compostas e gravadas aos poucos, algumas por meio de trocas de e-mails, com músicos de procedências diversas. "As faixas eram muito diferentes uma da outra, mas havia um conceito: queria que as músicas fossem românticas, mas que também falassem de esforço, de autoindulgência, de força de vontade, sobre insistência e isso tivesse um efeito fantástico, como se fosse uma coisa quase religiosa." A unidade sonora só veio quando Bruno se juntou a Guilherme Kastrup (com quem divide a produção do CD), Zé Ricardo Passeti, Ricardo Prado e o trompetista Guizado, que o acompanham no show de hoje.Sua versão para Pode Sorrir, dos mestres Nelson Cavaquinho e Guilherme Brito, leva o samba para algo "meio Broadway". Outro samba, Hoje Eu Vou te Acordar (parceria de Bruno com Romulo Fróes), é representativo de sua visão do próprio gênero e da música em geral: no fundo há de ter um pouco de melancolia.ServiçoBruno Morais. Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93, 3871-7700. Hoje, 21 h. R$ 4 a R$ 16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.