Brasil deve ficar fora da Opep

O peso político do Brasil será maior ficando fora do cartel da Opep, a exemplo do que fazem Rússia e México. Ganha-se, com isso, maior liberdade para decidir sobre volumes de produção e exportação. A opinião é do ex-BC Carlos Langoni. Ele adverte para conseqüências importantes no plano geopolítico com a descoberta do novo campo pela Petrobrás. Entre elas, a redução do poder de influência de Hugo Chávez na região. Langoni lembra também que a Petrobrás, antes mesmo do campo de Tupi, já projetava exportações de 500 milhões de barris de petróleo por dia em 2012, algo como US$ 15 bilhões por ano. Esses valores deverão ser elevados, o que consolidaria, segundo ele, o ajuste externo brasileiro, com megassuperávits comerciais. E a decisão de excluir 41 blocos da próxima rodada de licitação da ANP? "É até compreensível. Mas é preciso encontrar uma fórmula para viabilizar a presença da Petrobrás na nova área, sem desrespeitar as regras do mercado. Mesmo porque serão necessários investidores estrangeiros para acelerar a sua exploração." A propósito, as ações da Petrobrás, ontem, até a hora do almoço, estavam caindo, se preparando para o exercício de opções na segunda-feira.Filho de peixe...Corre pelo Rio que a Petrobrás vai batizar com o nome de Lula a megajazida provisoriamente chamada de Tupi. Isso justificaria a dúvida do diretor Guilherme Estrella, sobre o nome de batismo do campo.A estatal tem tradição de colocar nome de peixe em seus campos : Garoupa, Marlim, Roncador, Enchova. E de molusco, Mexilhão.Bola dentro Produtor do prêmio Craque Brasileirão, José Maurício Machline convidou Roberta Sá para participar da festa de entrega, dia 3, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. A cantora dividirá o palco com Pedro Luís e a interpretação, no show, de Pelas Tabelas, pérola de Chico Buarque.Zeca Pagodinho abre e encerra o evento, que vai premiar os melhores jogadores do Campeonato Brasileiro deste ano.Sabe quem é? Fato curioso ocorrido no 8º Foro Iberoamerica, presidido por Carlos Fuentes e Ricardo Lagos, em Santiago do Chile. Carlos Slim falava sobre oportunidades e desafios sociais do continente, ao lado do ministro brasileiro Fernando Haddad, quando foi lembrado pelo coordenador de que só tinha mais dois minutos para encerrar sua preleção. "Será que em algum outro lugar alguém se dirigiria ao homem mais rico do mundo para pedir que encerrasse seu comentário?", pergunta Roberto Teixeira da Costa. MuchachaÂngela Montoya, ex-ministra das Comunicações e diretora da campanha Colômbia É Paixão, que visa a atrair investimentos estrangeiros para o país, foi a convidada especial de reunião de trabalho promovida, esta semana, por Eduardo Fischer, em São Paulo.Casada com um dos sócios da Fischer Colômbia, ela provocou risos ao avisar que, mesmo não sendo, ia dar uma de publicitária. Distribuiu camisetas com o slogan.Fim do mundoO que pode derrubar o império americano? Não será o terrorismo, nem os Estados radicais ou o vendaval de produtos chineses baratinhos. Será a xenofobia. Ou seja, a intolerância, o medo dos imigrantes, a incapacidade de conviver com as diferenças. A tese é da autora Amy Chua, no livro Day of Empire, recém-lançado em Nova York e sem previsão ainda para chegar ao Brasil.Calma, ainda há tempo.Ninguém "güenta" Em Brasília, cada um se diverte como pode. O exótico senador Gilvan Borges, nepotista convicto, adquiriu o hábito de se infiltrar entre os jornalistas, em coletivas, e fazer perguntas inconvenientes, de longe, sem ser identificado. Ultimamente, já constrangeu o líder do governo, Romero Jucá, e o (ainda) presidente do Senado, Renan Calheiros.De futuroEm sua nova gestão à frente da Fiesp, Paulo Skaf autorizou a criação de três novos conselhos na casa: o da Indústria da Construção, o da Indústria da Defesa e o de Estudos Avançados.Por enquanto, só este último tem a primeira reunião agendada: dia 29.Cobra vai fumar A Fundação Cacique Cobra Coral - que acredita que pode prever o tempo e, mais que isso, influenciá-lo - acaba de enviar ao Ministério de Minas e Energia um "ultra-secreto" relatório sobre as condições hidrológicas para 2008/2009 no País. Juram que, lendo o relatório, o governo vai saber se haverá apagão elétrico.Impressão digitalJosé DrummondSó fogos de artifício na Brastemp/Consul. O presidente da unidade de eletrodomésticos da Whirlpool na América Latina informa que o setor de linha branca da empresa cresceu mais do que os 20% do mercado total. E, no próximo ano, a expectativa é que haja mais crescimento, ainda acima de dois dígitos, mas num índice um pouco mais baixo. "Estimar qualquer coisa entre 10% e 15% é bastante razoável." Por quê? "Não dá para repetir eternamente esses 20%."Na frente A TAM Viagens é a operadora oficial do recém-inaugurado Hotel Axel Buenos Aires, único na América Latina desenvolvido para o público gay. Mas, avisam: o hotel tem concepção "heterofriendly". Ou seja, o público heterossexual é bem-vindo. Henrique Meirelles, do BC, estará na sexta-feira, na Cidade do Cabo para participar de reunião do G-20. Orçada em R$ 4,5 milhões, a Parada Iluminada, espetáculo itinerante a ser apresentado dia 22 de dezembro na Praia de Copacabana, contará com 100 mil pontos luminosos, algo como 700 mil watts de energia. Tomara. Vegetariana há 15 anos, Manoela Diniz, filha da empresária Lucília Diniz, acaba de montar o bufê Duas Gastronomia, com a amiga Bia Rocha. Mas garante que vai atender a todas as preferências - até "carnívoros". O podcast da Rio Bravo apresenta, desde ontem, a soprano Carmen Monarcha interpretando trechos de óperas de Puccini. O Centro de Estudos Brasileiros em Oxford foi fechado, depois o Capes cortou bolsas do Cebrap - briguinhas do PT contra tucanos - e agora o Ipea afasta pesquisadores que divergem do governo. Será que vem aí o mesmo filme que todos já vimos?Direto da fonteColaboraçãoSilvia Penteadosilvia.penteado@grupoestado.com.brDoris Bicudodoris.bicudo@grupoestado.com.brGabriel Manzano Filhogabriel.manzanofilho@grupoestado.com.brProduçãoElaine Friedenreich e Claudete de Laradiretodafonte@grupoestado.com.brfotosdafonte.estado@grupoestado.com.br

Sonia Racy, sonia.racy@grupoestado.com.br, O Estadao de S.Paulo

17 de novembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.