Brando, para homenagear os 85 anos

Dez da noite. É hora de sintonizar no TCM, que apresenta Brando. É um documentário sobre o lendário astro de Hollywood que morreu em 2004, aos 80 anos. Comemoram-se hoje os 85 anos de nascimento de Marlon Brando. Desde que vestiu aquela camiseta branca em Uma Rua Chamada Pecado, de Elia Kazan, em 1951, ele virou ícone e representação da sensualidade masculina na tela. Ganhou dois Oscars (por Sindicato de Ladrões, de novo dirigido por Kazan, nos anos 1950, e O Poderoso Chefão, de Francis Ford Coppola, nos 70), dirigiu um western desmistificador (A Face Oculta) e deixou o legado de interpretações inesquecíveis. Genial, visceral. Usem o adjetivo que quiserem, Brando foi tudo, menos convencional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.