Bibliotecas abrem alas a contos de fada e música

Numa iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura que teve início há um ano, duas novas unidades temáticas serão inauguradas hoje, ambas no Tatuapé

Livia Deodato, O Estadao de S.Paulo

10 de novembro de 2007 | 00h00

Duas novas bibliotecas temáticas serão inauguradas hoje - uma dedicada a contos de fadas e a outra, à música. A iniciativa é da Secretaria Municipal de Cultura, que desde setembro do ano passado transforma bibliotecas públicas convencionais em temáticas. A Alceu Amoroso Lima, em Pinheiros e dedicada à poesia, foi a primeira, seguida da Belmonte, em Santo Amaro, que reúne mais de 400 títulos de cultura popular, como de Câmara Cascudo e Mário de Andrade. Constam ainda na lista mais quatro unidades na capital, previstas para serem inauguradas em março - de cinema (Biblioteca Roberto Santos, no Ipiranga), ciências (Biblioteca Mário Schenberg, na Lapa), meio ambiente (Biblioteca Raul Bopp, na Aclimação) e arquitetura e urbanismo (Biblioteca Prefeito Prestes Maia, em Santo Amaro).As bibliotecas Hans Christian Andersen e Cassiano Ricardo, de contas de fadas e música, respectivamente, são extensoras e localizam-se no Tatuapé. Hoje, uma programação especial vai tomar conta das duas unidades. A partir das 15 horas, a Hans Christian Andersen recebe contadores de histórias e tem apresentação de alunos da Escola Municipal de Bailado.Segundo a coordenadora da unidade, a pedagoga Marisabel Lessi de Mello, a biblioteca Andersen já tinha ''''vocação natural'''' para se dedicar exclusivamente aos contos de fadas: aos 17 mil livros infantis de seu acervo foram acrescidos mais 801 títulos. ''''Foi feita uma listagem de livros que faltavam para o acervo se tornar ainda mais completo'''', conta Marisabel. Nas estantes com formato de castelos encantados, crianças, jovens e adultos podem escolher entre ler as histórias clássicas do patrono da biblioteca, como O Soldadinho de Chumbo e O Patinho Feio, ou ainda emprestar algum DVD, dentre os 78 disponíveis.Como se tudo isso não bastasse, a Hans Christian Andersen prepara um centro de formação para contadores de histórias. ''''Existe grande interesse de profissionais de outras áreas na contação de histórias e os cursos que existem são poucos, pagos e esporádicos'''', constata Marisabel. Para o curso da biblioteca, a princípio de dois meses, não há pré-requisito. Interessados podem ligar para 2295-3447.Ainda hoje, na biblioteca ao lado, às 17 h, o violonista Sergio Molina e a cantora Miriam Maria resgatam letras inéditas do compositor Itamar Assumpção no show Sem Pensar, Nem Pensar, que vai marcar a inauguração do acervo especializado em música. ''''São cerca de 600 livros, 30 mil fonogramas, uma coleção de discos de 78 rotações remasterizados em CDs. É um acervo relativamente pequeno, mas representativo'''', diz Evaldo Piccino, coordenador da unidade de música. A coleção era de Salatiel Coelho, considerado o primeiro sonoplasta da TV brasileira, e foi adquirida pelo Centro Cultural São Paulo em 1984. Somente entre 2003 e 2004 parte desse material pôde ser digitalizada, graças ao apoio do Petrobrás.Os destaques são as composições de Pixinguinha, canções do início da carreira de Elis Regina e 20 DVDs, entre os quais os programas Ensaio, produzidos por Fernando Faro, de Gal Costa, Tim Maia, Baden Powell, Jair Rodrigues e Tom Zé.O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil, participam da inauguração da biblioteca que ainda conta com exposição de desenhos de Paulo Von Poser e curso de música coordenado pelo pianista do grupo Rumo, Ricardo Breim, entre outros eventos. Mais informações pelo telefone 6192-4570.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.