Divulgação
Divulgação

Biblioteca Nacional e instituições se unem para lançar plataforma digital

As coleções brasillianas serão lançadas em parceria com Itaú Cultural, Pinacoteca e Instituto Moreira Salles

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S. Paulo

02 de maio de 2016 | 04h00

Hoje, dia 2, às 11 horas, na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, quatro instituições se unem para lançar um portal com suas respectivas coleções brasilianas (brasilianaiconografica.art.br.). Previsto para março de 2017, será o primeiro a colocar à disposição do público o acervo da Biblioteca, da Pinacoteca do Estado, do Itaú Cultural e do Instituto Moreira Salles.

O portal terá inicialmente 2 mil obras digitalizadas que incluem peças históricas dos pintores viajantes (Debret, Rugendas), mapas, livros, desenhos e gravuras. Esse número, segundo o diretor do Itaú Cultural, Eduardo Saron, deverá crescer.

Só o Itaú Cultural tem 2.500 obras históricas, entre elas um panorama de São Paulo pintado por Armand Julien Pallière, encomendado por D. Pedro I. Numa primeira fase, segundo Saron, os curadores do portal farão o cruzamento das informações referentes ao acervo dos quatro parceiros. Num segundo momento, serão organizadas exposições itinerantes.

O patrocínio do portal foi dividido entre o Itaú e o Instituto Moreira Salles, que tem em sua coleção 2 mil obras raras em papel de grandes autores, entre eles Debret, Von Martius e Henry Chamberlain. “Nossa ideia é atrair outras instituições para produzir um catálogo raisonné com as brasilianas existentes no País”, adianta Saron. Dessas coleções, uma das mais recentes é a da Pinacoteca, que começou em 2007 e na qual figura o óleo de Cicarelli (ao lado) que retrata o Rio em 1844.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.