Berio é revisto por músicos brasileiros

Com participação de Céline Imbert, CD do Percorso Ensemble investiga as possibilidades expressivas da voz

João Luiz Sampaio, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2022 | 00h00

O Percorso Ensemble, comandado por Ricardo Bologna, lança amanhã com um recital seu primeiro CD em parceria com o Sesc, Berio +. É a primeira incursão do selo Sesc na seara erudita. E o resultado final só nos faz esperar que a iniciativa não pare por aí - o disco coloca lado a lado obra fundamental do repertório do século 20 e criações de dois importantes autores brasileiros, propondo um diálogo em que o tema são as possibilidades expressivas da voz humana e o diálogo entre compositores e suas épocas.Já seria motivo suficiente para comemoração que alguns dos músicos mais destacados do cenário brasileiro, reunidos no Percorso, tenham resolvido registrar pela primeira vez no País as Folksongs de Luciano Berio. Trata-se de um ciclo de canções fundamental dentro do repertório do século 20. Transporta o ouvinte para um momento muito rico da história recente da música clássica, quando a quebra dos paradigmas levou os compositores a procurar novas técnicas, novas propostas sonoras, dialogando com um novo mundo que surgia. Nas Folksongs, Berio aplica à voz as investigações da vanguarda e sua preocupação em encontrar novos caminhos para a criação musical, conseguindo manter uma relação expressiva com o ouvinte.O disco, no entanto, ganha significado ainda mais amplo no momento em que coloca ao lado de Berio obras de Arrigo Barnabé (Três Canções) e Eduardo Guimarães Álvares (Baladas da Cantora Fantasma do Rádio). Da mesma forma que Berio bebe em diversas fontes para criar suas Folksongs, aqui dois autores brasileiros se voltam a ele para criar obras que ao mesmo tempo o homenageiam e revelam a permanência de sua criação em nossos dias, apontando também novos caminhos, agora ligados a uma outra época, a nossa. E não pára por aí: essa investigação das possibilidades expressivas da voz ganha cores ainda mais fortes com a participação da meio-soprano Céline Imbert, que canta no recital de hoje, dando início às comemorações pelos seus 20 anos de carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.