Banco oferece as menores taxas

Clientes da Caixa terão vantagens, como juros mais baixos do que os de quem não tem conta

O Estadao de S.Paulo

15 de maio de 2008 | 00h00

A Caixa Econômica Federal é a instituição financeira que oferece as menores taxas de juros para aquisição da casa própria. E o banco ainda oferece mais vantagens para seus correntistas. "Durante o Feirão, os nossos clientes poderão ter acesso a financiamentos mais baratos que os ofertados a quem não é cliente", afirma Luiz Carlos Previlato, gerente regional da Caixa, sem especificar, entretanto, quais serão essas taxas de juros promocionais. Os visitantes do Feirão que quiserem abrir uma conta no banco para aproveitar as vantagens, poderão fazer isso na hora. "Basta apresentar os documentos necessários e escolher a agência da qual pretende ser correntista", explica Previlato.Dentre as linhas de financiamento que serão oferecidas no evento, a mais vantajosa é a Carta de Crédito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Nesse modelo, as taxas de juros variam entre 6% a 8,16% ao ano. Fora do Estado de São Paulo, os trabalhadores podem financiar imóveis de até R$ 350 mil, mesmo que não façam parte da população de baixa renda. Os paulistas, porém, têm mais restrições para usar os recursos do Fundo. Por aqui, esse tipo de financiamento se aplica apenas às famílias que ganham até R$4,9 mil e ao menos três anos de inscrição. O imóvel adquirido também não pode custar mais de R$130 mil. Para o vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias, Wellington Moreira Franco, as regras do Conselho Curador do FGTS beneficiam diretamente os titulares das contas vinculadas. "Os demais trabalhadores e não titulares de conta no Fundo não serão prejudicados nos financiamentos habitacionais, pois o orçamento de 2008 prevê recursos da ordem de R$ 1, 5 bilhão", afirma.Para quem não se enquadrar nas exigências do Fundo, resta o financiamento com recursos da poupança. Nesse caso, as taxas variam entre 8,4% e 14,5%, mais a correção da Taxa Referencial (TR). E também não há limite no valor do imóvel. Neste ano, o prazo máximo de financiamento passou de 20 anos para 30 anos, tanto para quem usa recursos da poupança quanto para quem opta pela Carta de Crédito do FGTS.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.